Restaurante demite gerente que ofereceu banana a entregadores negros

Funcionário do Garota da Tijuca, que foi preso e liberado após pagar fiança de R$ 800, estava afastado do trabalho

Por O Dia

Rio - Foi demitido no início da tarde desta terça-feira, o gerente do restaurante Garota da Tijuca, Ascendino Correia Leal, de 68 anos após ser acusado e preso por injúria racial. Ascendino teria dado bananas a dois entregadores de bebidas na última sexta-feira, dia da Consciência Negra. Os trabalhadores teriam se ofendido com a atitude do acusado e chamado a polícia. O gerente foi levado para a 19ª DP (Tijuca). 

Site do bar anuncia demissão de gerenteReprodução

No Boletim de Ocorrência (BO), os entregadores William Dias Delfim e Leonardo Valentim Silva Pereira disseram que o gerente havia afirmado “em homenagem ao dia de hoje, uma banana para casa um, pois vocês são da mesma raça". O agressor ainda teria dito que as bananas eram para todos, "pois todos eles eram da mesma raça". No registro da ocorrência, Correa, como é conhecido, teria tentado desfazer o constrangimento e entrou no restaurante rindo.

No mesmo dia, Ascendino pagou fiança de R$ 800 e foi liberado.

LEIA MAIS: Gerente preso por injúria racial ofereceu almoço aos entregadores

Gerente de restaurante na Tijuca é preso acusado de crime de injúria racial

O comunicado divulgado no site do bar informa que “situações como essas são inadmissíveis” e que a direção do restaurante repudia atitudes ofensivas contra o estabelecimento e seus funcionários que, de alguma maneira, compactuam com algum tipo de comportamento discriminatório. Na segunda-feira, contudo, outro gerente do restaurante alegou que o incidente foi uma brincadeira e um mal-entendido.

A nota afirma ainda que essa foi uma atitude “independente do funcionário. O texto termina pedindo desculpas aos “clientes e fornecedores”.

Veja a nota completa:

A direção do Restaurante Garota da Tijuca, perante a atitude independente e comprovada de um funcionário comunica que o mesmo foi demitido da empresa.

Reiteramos que situações como essas são inadmissíveis !

Repudiamos também as atitudes ofensivas contra o estabelecimento e seus funcionários que, de maneira alguma, compactuam com qualquer tipo de comportamento discriminatório.

Pedimos desculpas a nossos clientes e fornecedores por esse fato isolado, certos de que isso não se repetirá.

A DIREÇÃO

O incidente repercutiu nas redes sociais, e vários internautas exigiram a demissão do gerente acusado de injúria racial, assim como o boicote ao restaurante. No Facebook, foi criado um evento marcando o boicote para o dia 5 e até o final da tarde de segunda-feira, mais de 1,4 mil pessoas haviam demonstrado apoio à iniciativa.

Últimas de Rio De Janeiro