Homem é preso e Morro da Providência tem novo tiroteio após morte de PM

Soldado de UPP morreu após ser baleado em confronto com criminosos nesta quarta-feira. Em Nova Iguaçu, no mesmo dia, policial reformado foi assassinado na porta de casa

Por O Dia

Rio - Após a morte do policial militar Daniel Gleison Campos da Silva, de 29 anos, agentes do Batalhão de Operações Especiais (Bope) e da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Providência realizaram buscas na comunidade da Região Portuária. O policiamento seguiu reforçado ontem e, na madrugada desta quinta-feira, um novo tiroteio ocorreu na favela. Policiais faziam patrulhamento numa localidade conhecida como Amendoeira quando mais uma vez se tornaram alvo de criminosos. Houve confronto, mas ninguém ficou ferido.

Daniel foi baleado no pescoçoWhatsApp O DIA (98762-8248)

Um homem, identificado como Willian da Costa, de 24 anos, foi preso em flagrante na Ladeira do Barroso, um outro ponto da comunidade. O comando da UPP Providência e a Polícia Civil ainda não disseram se ele está envolvido na morte do soldado Daniel. Ele foi encaminhado para a 5ª DP (Mem de Sá), onde foi autuado por associação para o tráfico de drogas. Com o homem, que é conhecido como “WL”, foram apreendidos um telefone celular, um coldre para pistola e um rádio transmissor, segundo policiais militares.

Ainda de acordo com o comando da UPP Providência, nesta quinta-feira, o policiamento na região está reforçado e conta com o apoio de agentes das unidades do Comando de Operações Especiais (COE).

O policial militar Daniel Gleison Campos da Silva morreu após ser baleado durante um confronto com criminosos armados, no Morro da Providência, Santo Cristo, Região Portuária do Rio, na madrugada desta quarta-feira. Soldado da UPP Providência, ele patrulhava uma região conhecida como Ladeira do Barroso, quando foi atingido por um tiro no pescoço. Casado e pai de uma menina, Daniel chegou a ser levado para o Hospital Souza Aguiar, no Centro, mas não resistiu aos ferimentos. Seu corpo foi sepultado na tarde desta quarta-feira no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap.

LEIA MAIS:

Policial da UPP Providência morre após ser baleado na Região Portuária do Rio

'Morreu como um herói, cumprindo sua missão', diz parente de PM assassinado

PM assassinado na Baixada

Daniel Gleison Campos da Silva não foi o único policial morto nesta quarta. Policial reformado, Marcelo Gomes Teixeira, de 53 anos, conversava na porta de casa com um amigo, o capitão Barreto, do 21º BPM (São João de Meriti), quando foi baleado no rosto e no braço. O caso ocorreu na Rua Manoel Lopes, no bairro da Posse, em Nova Iguaçu, Baixada Fluminense. O policial chegou a ser levado para o Hospital da Posse, mas não resistiu.

A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) abriu um inquérito para apurar as circunstâncias da morte de Marcelo. Segundo a Polícia Civil, foi realizada uma perícia no local do crime. O corpo da vítima foi levado para o Instituto Médico-Legal (IML). Agentes buscam imagens de câmeras de seguranças da região e informações que ajudem a identificar os autores do crime. Não há informações sobre o sepultamento de Marcelo.

Últimas de Rio De Janeiro