Paes admite ter feito acordo com Romário para apoio à candidatura de Pedro Paulo

No entanto, o prefeito negou que aliança tenha ligação com suposta conta do senador na Suíça

Por O Dia

Rio - O prefeito Eduardo Paes inaugurou, na manhã desta quinta-feira, o Circuito de Canoagem Slalom dos Jogos Olímpicos Rio 2016, no Complexo Esportivo de Deodoro. Durante a cerimônia, ele confirmou que tem um acordo com o senador Romário (PSB) para que este apoie a candidatura do secretário executivo de governo Pedro Paulo Carvalho (PMDB) à prefeitura do Rio. No entanto, Paes negou que a aliança foi feita por conta de uma suposta conta do ex-jogador na Suíça.

"Tenho um entendimento com o senador Romário de que, se ele não vier candidato, ele vai apoiar o Pedro Paulo", garantiu o prefeito, ao G1.

Na quarta-feira, foi divulgada uma gravação que serviu de base para a prisão do senador Delcídio do Amaral (PT/MS), pela Operação Lava Jato. No áudio, o senador conversa com seu chefe de gabinete, Diogo Ferreira, Bernardo Cerveró e Edson Ribeiro, respectivamente, filho e advogado de Nestor Cerveró, ex-diretor da Petrobras. Ele insinua que o apoio de Romário à candidatura de Pedro Paulo estaria ligada a suposta conta na Europa.

LEIA MAIS: Gravação insinua conta na Suíça em acordo de Paes e Romário

Na gravação, Delcídio relata aos três interlocutores uma visita que recebeu de Paes, Pedro Paulo e Romário. Durante esta visita é que ele teria sido informado do acordo entre prefeito e senador.

No mês de julho, a revista 'Veja' publicou uma matéria onde afirmava que Romário tinha uma conta não declarada na Suíça. O senador foi então a Genebra e divulgou declaração do Banco BSI que negava a existência da tal conta. Desde julho do ano passado, que o BSI pertence ao Banco BTG Pactual, de André Esteves, também preso na quarta-feira. Guilherme da Costa Paes, irmão do prefeito do Rio, é diretor do BTG Pactual.

Últimas de Rio De Janeiro