Por marlos.mendes

Rio - Auditoria realizada pelo Tribunal de Contas da União aponta falhas nas fronteiras brasileiras e contabiliza pouca integração entre as polícias estaduais, o que pode atrapalhar a segurança dos Jogos Olímpicos. A avaliação é do ministro Augusto Nardes, relator no TCU da fiscalização da Olimpíada do Rio.

“Nossa auditoria mostra que 68% das secretarias estaduais não se comunicam”, afirmou o ministro que classificou como intermediária a situação da política de governança em 20 dessas secretarias. “Falta integração”, reclamou Nardes.

O documento do TCU foi apresentado nesta quarta-feira no Rio, em seminário internacional com representantes de 78 países que passaram o dia debatendo estratégias de segurança para a Olimpíada de 2016. A delegação do governo brasileiro negou riscos durante os Jogos, explicou que está trocando informações com outros países e informou que os últimos atentados terroristas em Paris, na França, e em Mali, na África, não irão alterar o planejamento brasileiro.

Maracanã%3A Policiais do Batalhão de Choque treinam com agentes franceses e simulam brigas nos JogosDaniel Castelo Branco / Agência O Dia

“A cooperação será acentuada com a França e com outros países”, informou Andrei Rodrigues, secretário extraordinário de Segurança para Grandes Eventos do Ministério da Justiça. “Isso não é mudança de planos. Apenas se acentua em relação à Copa do Mundo. Temos mais gente trabalhando com foco específico no combate ao terrorismo”.

Regina Miki, secretária nacional de Segurança Pública, rebateu os temores do ministro do Tribunal de Contas da União e disse que o país está preparado para garantir a segurança dos Jogos Olímpicos. “Foi a melhor das Copas e será o melhor dos Jogos”, prometeu a secretária. “Não posso garantir que temos o melhor dos mundos na segurança pública ou que todos convivem harmoniosamente, mas nosso empenho é maior do que qualquer vaidade corporativa”, completou Regina Miki.

Treinamento
Na manhã desta quarta-feira, enquanto os representantes internacionais debatiam as táticas de segurança para os Jogos, os policiais do Batalhão de Choque da PM do Rio estavam no Maracanã recebendo instruções e treinamento de agentes da polícia da França. Juntos, franceses e cariocas fizeram uma série de simulação de brigas de torcidas.


Vistos liberados
A presidenta Dilma Roussef liberou ontem a necessidade visto para os turistas que vierem ao Rio durante os Jogos de 2016. A decisão, segundo o Ministério da Justiça, não prejudica a segurança da Olimpíada.

“A medida não traz nenhum impacto negativo para a segurança. Vemos com bons olhos a iniciativa”, assegurou Andrei Rodrigues, secretário extraordinário de Segurança para Grandes Eventos do Ministério da Justiça.

O planejamento da segurança dos Jogos conta com 85 mil agentes, 38 mil das Forças Armadas.

Você pode gostar