Corpo de policial militar morto no Jacarezinho é enterrado em Sulacap

Segundo a PM, 20 policiais foram mortos em serviço em 2015; destes, dez são de UPP

Por O Dia

Rio - O corpo do policial militar Rodrigo Ribeiro Pinto, de 34 anos, foi enterrado na tarde desta terça-feira no Cemitério de Sulacap, na Zona Oeste do Rio. Cerca de 100 amigos e familiares acompanharam a cerimônia. Muito emocionado, o pai de Rodrigo, Gilberto Pinto, 67 anos. lembrou o período vivido pelo agente no Haiti, quando participou da missão de paz do Exército no país da América Central. 

"Rodrigo sempre sonhou ser policial. Era um homem honesto e trabalhador e agora deixa dois filhos. Ele foi para a Guerra do Haiti pelo Exército e ficou 8 meses lá.  Entrou para a Polícia Militar porque gostava", contou o pai.

O comandante geral da PM, coronel Alberto Pinheiro Neto, acompanhou o enterro, mas preferiu não se pronunciar "em respeito à família". Segundo a corporação, 20 policiais foram mortos em serviço em 2015; destes, dez são de UPP

Corpo de policial foi enterrado com honras militaresJoão Laet / Agência O Dia

Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Jacarezinho, Rodrigo morreu na segunda, durante troca de tiros com bandidos na comunidade da Zona Norte. O soldado estava na corporação desde 2013, era casado e tinha dois filhos. 

O confronto aconteceu na localidade conhecida como Talibã e o policial chegou a ser encaminhado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, mas não resistiu aos ferimentos. No áudio obtido pelo DIA, é possível ouvir o desespero dos PMs logo após o soldado Pinto ser baleado. Eles pedem prioridade no socorro ao colega. “Policial baleado, brevidade”, grita um PM. “Informe a direção, comandante”, fala outro policial. “UPP Jacaré (inaudível)”, diz o PM.

Logo depois, uma equipe diz que está seguindo para o local. “Atenção. Descendo sentido Rei do Gado”, avisa um policial. “Estado grave. Bravo Mike foi executado. VTR (viatura), por favor. Policial em estado grave. Prioridade”, desespera-se o PM.

O policiamento foi reforçado pelo Comando de Operações Especiais (COE), Grupamento de Intervenções Táticas (GIT) das UPPs, outras unidades da região e 3ºBPM (Méier). Até outubro, pelo menos 60 policiais foram mortos no Rio de Janeiro. Segundo o Anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, o Rio é o estado campeão de mortes de agentes de segurança. Em 2014, foram 98 policiais assassinados, quase 25% dos 398 agentes mortos em todo o país.

Últimas de Rio De Janeiro