Disque-Denúncia aumenta recompensa por chefe do tráfico do Jacarezinho

Traficante é acusado da morte do PM Clayton Fagner Alves Dias, 30 anos, em abril, na UPP Manguinhos. Nesta segunda-feira, Justiça determinou que ele volte para o regime fechado

Por O Dia

Recompensa pelo traficante Luan Lopes da Silva%2C o Luanzinho%2C aumentou para R%24 20 milDivulgação / Disque-Denúncia

Rio - A recompensa oferecida pelo traficante Luan Lopes da Silva, também conhecido como Luanzinho ou Menino Maluquinho, subiu de R$ 5 mil para R$ 20 mil. Na noite desta segunda-feira, a Justiça determinou que ele volte para o regime fechado.

Ligado à facção Comando Vermelho (CV), ele chefia o tráfico em Manguinhos, na Zona Norte. Segundo o Portal dos Procurados, do Disque-Denúncia, ele se auto intitula matador de policiais e lidera um grupo de traficantes que vai até o Jacaré para tentar matar policiais. Depois, o criminoso volta com seu bonde para Manguinhos.

No último domingo, ele liderou, no Jacarezinho, segundo informações, o ataque à UPP, onde dois policiais morreram. Seu grupo teria se escondido na favela Bandeira Dois, em Del Castilho, após o crime. Informações enviadas ao Disque-Denúncia apontam ainda que o bandido e os criminosos ligados a ele estão escondidos no Morro do Borel, na Tijuca, Zona Norte.

Em janeiro de 2014, Luan Lopes da Silva foi transferido para o regime semiaberto, com parecer favorável do Ministério Público. Em 26 de janeiro deste ano, após verificar que ele havia descumprido as regras da Visita Periódica ao Lar (VPL), a Justiça determinou a suspensão de suas saídas, o mantendo no regime semiaberto.

Em sua decisão, na noite desta segunda-feira, o juiz Eduardo Oberg, titular da Vara de Execuções Penais (VEP), reconsiderou a decisão anterior. “A notícia de que o apenado, cumprindo pena em regime semiaberto, deixou a unidade sem jamais retornar, nem apresentar qualquer justificativa, é suficiente para caracterizar sua evasão”, destaca o juiz Eduardo Oberg na decisão.

LEIA MAIS:

Recompensa por traficante de Manguinhos aumenta para R$ 5 mil

Disque-denúncia divulga cartaz de acusados de assassinar PM de UPP

Morre PM de UPP baleado na Ilha do Governador

Luanzinho também está envolvido no tiroteio do dia 17 de novembro, que terminou com um PM da UPP Manguinhos baleado. O soldado identificado como Jeferson Pereira, 33 anos, fazia patrulhamento com outros militares em uma localidade conhecida como Beco do Campo Sintético, que fica próximo a Rua Leopoldo Bulhões e à estação de trem, quando foi atingido no rosto por um disparo. Luanzinho ficou ferido neste confronto e foi medicado na Favela Nova Holanda.

O criminosos ainda é acusado acusado de participar do assassinato do soldado da Polícia Militar, Clayton Fagner Alves Dias, de 30 anos, lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Manguinhos, que foi morto na madrugada do dia 29 de abril. Clayton levou aproximadamente 20 tiros, quando seguia de moto para sua casa, na Ilha do Governador. O policial ainda trocou tiros com os traficantes, e segundo informações, os criminosos teriam utilizado uma pistola com dispositivo de rajada.

O Disque-Denúncia pede a quem tiver informações sobre a localização de Luan Lopes da Silva que envie uma mensagem de texto, vídeo ou fotos para o aplicativo de mensagens do WhatsApp do Portal dos Procurados (21) 96802-1650, ou entre em contato com a Central Disque-Denúncia pelo (21) 2253-1177 ou 0300-253-1177, para quem estiver fora da capital. O anonimato é garantido.

Últimas de Rio De Janeiro