Por paulo.gomes
Publicado 14/12/2015 14:41 | Atualizado 14/12/2015 15:47

Rio - O corpo de Raphael Gonçalvez Nogueira foi sepultado na manhã desta segunda-feira, no Cemitério de Irajá, na Zona Norte. Na noite do último sábado, dia em que completava 28 anos, ele foi assassinado numa tentativa de assalto na Avenida Pastor Martin Luther King, altura do Engenho da Rainha. Aproximadamente 200 pessoas compareceram ao enterro e pediram justiça.

"Que as autoridades façam justiça e prendam eles, coloquem eles na cadeira, para que amanhã não matem mais inocentes, mais um trabalhador", pediu Afonso Nogueira, pai da vítima, ao RJTV.

Aproximadamente 200 pessoas compareceram na manhã desta segunda-feira no enterro de Raphael Gonçalvez NogueiraSeverino Silva / Agência O Dia

Acompanhado da mãe, esposa e irmã, Raphael passava pela via, seguindo para o bairro de Vista Alegre onde comemoraria seu aniversário. O carro onde estava foi abordado pelos criminosos. O administrador deixou o celular cair e quando se abaixou para pegá-lo, os bandidos se assustaram e começaram a atirar. O rapaz morreu no local.

"Ele gritava: 'para, para, pelo amor de Deus. Hoje é o meu aniversário. Chega, chega'", disse a mãe de Raphael, ao Bom Dia Rio.

Juliana Pimenta, esposa de Raphael, também foi baleada e está internada em estado grave, no CTI do Hospital da Terceira Ordem, na Tijuca.

A Delegacia de Homicídios (DH) da Capital instaurou um inquérito para apurar as circunstâncias da morte de Raphael Nogueira. De acordo com a Polícia Civil, o carro da vítima já foi periciado e testemunhas foram ouvidas. Agentes buscam informações e imagens que ajudem nas investigações.

Você pode gostar