Policiais acusados de matar jovem que não parou em blitz são expulsos da PM

Os dois já respondem na Justiça por homicídio doloso

Por O Dia

Rio - Os quatro policiais militares acusados atirar contra o carro Haíssa Vargas Motta, no ano passado, em Nilópolis, na Baixada Fluminense, foram expulsos da corporação. A jovem foi morta após não obedecer ordem de parada, enquanto voltava com amigos de um bar.


O cabo Delviro Anderson Moreira dirigia o carro e o soldado Márcio José Watterlor Alves foi autor dos disparos. Os dois já respondem na Justiça por homicídio doloso pelo crime.


Também foram expulsos os cabos Gutemberg de Carvalho Gomes Junior e Carlos Henrique Ribeiro Furtado, que estavam em outro carro que participou da perseguição. Todos eram lotados no 41º BPM (Irajá). A expulsão deles já foi publicada no boletim interno da Polícia Militar.


Últimas de Rio De Janeiro