Reprodução simulada de morte de jovens na Pavuna tem tiroteio

Delegacia de Homicídios investiga morte de rapazes. Policiais teriam confundido macaco hidráulico com fuzil

Por O Dia

Rio - A reprodução simulada da morte dos dois mototaxistas que foram baleados na Pavuna, na Zona Norte do Rio, em outubro, teve troca de tiros entre policiais e bandidos, nesta manhã. Ninguém se feriu. A Delegacia de Homicídios tenta esclarecer o que aconteceu no dia da morte de Tiago Guimarães Dingo, 24 anos, e Jorge Lucas Paes, de 17 anos, mortos no dia 30 de outubro, após um policial militar do 41º BPM (Irajá) atirar nos jovens, ao confundir um macaco hidráulico, que é utilizado na troca de pneus, com um fuzil.

Leia também: Polícia faz reprodução simulada de morte de jovens na Pavuna

Reconstituição da Polícia Civil teve apoio do Batalhão de ChoqueReprodução TV

De acordo com a Polícia Civil, a reconstituição conta com o apoio da Polícia Militar. Um caveirão foi usado para garantir a segurança dos agentes e da reprodução. No momento que agentes entravam na comunidade, suspeitos atiraram contra eles. Por conta disso, o Batalhão de Choque precisou se acionado, entrou pelo outro lado, onde disparos foram ouvidos. Os peritos da Polícia Civil refizeram o caminho que os rapazes mortos percorreram de moto. Eles analisaram ainda o trajeto feito pelos militares. O trabalho começou 9h da manhã e deverá continuar por todo o dia. Família dos jovens acompanham a reconstituição.