Por marlos.mendes
Publicado 16/12/2015 00:35 | Atualizado 16/12/2015 00:51

Rio - Chamada de Fiscalização Eletrônica Seletiva (FES), uma tecnologia usada pelo Detran-RJ evita que policiais parem motoristas que estão certos.
“Funciona da seguinte maneira: Câmeras fazem a identificação da placa. Com isso, o sistema é capaz de analisar, em segundos, o último licenciamento feito, checa se a vistoria está em dia, se o IPVA está pago e se há multas. Revela, ainda, se o veículo é roubado, furtado ou está envolvido em processos de clonagem e até se o proprietário tem pendência com a Justiça ou a CNH está vencida ou suspensa”, explica Rafael Moreira, analista de Gestão e Trânsito do Detran-RJ, que ajudou na aplicação do sistema.


A iniciativa contribui para causar menos impacto no trânsito, já que para apenas os automóveis em situação irregular. Além disso, é uma maneira de preservar o tempo de quem cumpre com as obrigações.
Há três tipos de FES: Fixa, em que o sistema do Detran-RJ opera integrado às câmeras da Prefeitura; Móvel, que é feita com carros do órgão estacionados antes das blitz; e Circulante, que é operada com os veículos em movimento acompanhado de policiais. As operações são realizadas com carros identificados e também sem identificação.

Imagens das placas são captadas por câmeras do órgãoDivulgação


Para Rafael, o sistema, que utiliza a tecnologia OCR - que, em tradução livre, significa Reconhecimento Ótico de Caracteres -, tende a ser ampliado, já que os benefícios são muitos. “O incômodo aos motoristas que estão em dia minimiza muito. Utilizamos já há quatro anos e o objetivo é que, ao longo do tempo, esse seja o modelo principal, já que se trata de uma inovação de baixo custo”, afirma.


Segundo levantamento, 1 a cada 5 veículos não está dentro da lei. O maior número de devedores está nas regiões e bairros mais ricos do estado. Em 2015, o débito com IPVA apenas na cidade do Rio é de mais de R$ 158 milhões. Desde 2012, ultrapassa R$ 365 milhões. No estado, o rombo chega a quase R$ 745 milhões.


Os veículos sem licenciamento anual são autuados e rebocados para o depósito de cada prefeitura e só podem ser retirados após pagamento do IPVA, da multa e da diária do pátio. De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), conduzir veículo que não esteja licenciado é infração gravíssima e o motorista perde sete pontos na carteira.


Parece cena de filme

A iniciativa lembra o roteiro do filme Minority Report, estrelado, em 2002, pelo ator americano Tom Cruise. No filme de ficção científica dirigido por Steven Spielberg, passado no ano de 2054, o policial interpretado pelo astro de Hollywood trabalha na polícia de Washington. No longa, a tecnologia ajuda os agentes a prender criminosos antes mesmo que cometam os atos. Aqui, a medida também contribui para a sensação de segurança no trânsito. É o que pensa Leonardo Perrone, 30, empresário.


“Vejo muitos carros e motos que parecem não ter condições de estarem nas ruas pela precariedade. Esses radares inteligentes ajudam a tirar esses veículos de circulação. E sem causar engarrafamento na cidade”, acredita.

Você pode gostar