Por gabriela.mattos
Publicado 22/12/2015 22:09 | Atualizado 22/12/2015 23:28
Elen Cury foi solta pela Justiça nesta terça-feiraReprodução Facebook

Rio - A Justiça concedeu habeas corpus a Elen Cristina Cury, acusada de mandar matar o namorado, Felipe Lavina Machado, que era dono de uma academia, no bairro K-11, em Nova Iguaçu.

De acordo com a decisão do desembargador da 6ª Câmara Criminal, Nildson Araújo da Cruz, a mulher não tentou em nenhum momento atrapalhar as investigações do caso.

No documento, o desembargador conta que Elen chegou a dar depoimento aos policiais duas vezes durante este período.

"A primeira espontaneamente logo após o crime. A segunda após ser intimada por WhatsApp", afirma Nildson.

Agora, Elen deve comparecer à polícia sempre que for intimada pelos agentes. Com isso, ela deve manter a Justiça informada de seus endereços residenciais atualizados até o julgamento do caso. "A inabilidade policial foi rechaçada pelo poder judiciário", destaca o advogado Rafael Faria.

No dia 25 de outubro, Felipe Lavina foi rendido em casa, no bairro Therezinha, por três criminosos armados. Depois, a vítima foi levada ao próprio carro com a namorada até o bairro K-11, onde foi executado com um disparo na cabeça. Elen foi liberada no caminho pelos suspeitos.

Felipe, que era sócio da Mega Physical, estava apenas de cueca. O dinheiro e o carro dele foram levados pelo trio, mas ainda no domingo os PMs do 20º BPM (Mesquita) localizaram o Fiat Punto da vítima.

?LEIA MAIS: Polícia prende mais um envolvido na morte de dono de academia na Baixada

Os criminosos levaram R$ 10 mil que seria para o pagamento dos funcionários da vítima. Além disso, dois estavam encapuzados e mudavam o tom de voz para não serem reconhecidos.

Dono de uma academia em Nova Iguaçu, Felipe Lavina foi morto no dia 25 de outubroReprodução Internet


Você pode gostar