Dilma cancela presença em inauguração de equipamento para as Olimpíadas

Presidenta da República era aguardada para nesta manhã em Deodoro. Ela participou de uma conferência com Pezão

Por O Dia

Rio - A presidenta da República Dilma Rousseff cancelou sua presença na inauguração do Parque Radical no Complexo Esportivo de Deodoro. Na manhã desta quarta-feira, ela participaria da cerimônia ao lado do governador Luiz Fernando Pezão e do prefeito Eduardo Paes. Ela participava de uma conferência com Pezão e o ministro da Saúde, Marcelo Castro, para tentar encontrar uma solução para a crise.

Na conversa ficou definida a criação de um gabinete com participação de representantes dos governos federal, estadual e municipal. Também participaram da reunião os ministros Jaques Wagner (Casa Civil) e Nelson Barbosa (Fazenda) e os presidentes do Banco do Brasil, Alexandre Abreu, e da Caixa Econômica, Miriam Belchior.

"A coordenação será nossa, federal, com toda a rede federal à disposição, toda rede estadual e toda rede municipal agindo em sinergia, agindo em harmonia, vendo e distribuindo as tarefas, transferindo doentes, se for necessário, levando equipamentos, medicamentos, ou seja, tomando todas as decisões necessárias para amenizar o problema que estamos passando, problemas emergenciais que estamos passando no Rio de Janeiro", explicou Castro.

Segundo o ministro, o secretário de Atenção à Saúde do ministério, Alberto Beltrame, irá ainda hoje ao Rio de Janeiro para se reunir com o governador Pezão e com o prefeito Eduardo Paes para instalar o gabinete de crise.

“Da nossa parte da saúde, estamos inteiramente solidários ao governador Pezão. Compreendemos a situação financeira pela qual ele está passando. Não é só o governo do Rio, todos os governos estaduais, todos os governos municipais estão em dificuldade financeira, mas o do Rio especialmente. Isso se deve à queda do preço do petróleo que todos sabem, os royalties do petróleo constituem a principal renda do Rio de Janeiro. Como o petróleo estava mais de US$ 100 e hoje está abaixo de US$ 40, isso trouxe uma queda das suas receitas e trouxe um problema adicional”, destacou Castro, afirmando que todos precisam ser solidários ao povo do Rio.

Com informações da Agência Brasil

Últimas de Rio De Janeiro