Angra dos Reis sofre risco de deslizamento

Sirenes alertam população. Defesa Civil monitora chuvas

Por O Dia

Rio - A Defesa Civil de Angra dos Reis, na Costa Verde, determinou ontem a desocupação de cerca de 300 casas na região por causa das fortes chuvas iniciadas na noite de sábado. Pequenos deslizamentos de terra ocorreram nos bairros do Frade, Sertãozinho e Santa Rita, onde foram instalados pontos de apoio para os moradores.

Agentes da Defesa Civil socorrem moradores castigados por cheia do Rio Mambucaba%2C em Angra dos ReisDivulgação

A prefeitura não registrou ocorrências graves. As sirenes de alerta à população soaram a partir das 19h, no Frade, quando os pluviômetros registraram 100 mililitros. Às 20h, as sirenes tocaram em Sertãozinho e à meia-noite em Santa Rita. Mensagens de texto foram enviadas aos moradores com alertas sobre riscos de deslizamentos. Para a Defesa Civil, a situação começa a sair do controle a partir de 100 mm.

“Seguimos monitorando o tempo desde a noite de sábado”, informou o secretário de Defesa Civil, Marco Oliveira. “Temos equipes em todos os bairros com risco de deslizamento e com alto índice pluviométrico. Contamos com a ajuda da população e pedimos que os moradores sigam as orientações da Defesa Civil”, completou o secretário Oliveira.

A área mais afetada foi a do Parque Mambucaba. Castigados pela enchente do Rio Mambucaba, 27 pessoas estão abrigadas na Escola Municipal Frei Bernardo, divisa com Paraty. Equipes da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros estão no local auxiliando na limpeza das casas. Durante todo o dia de ontem choveu fraco na região. A previsão do Instituto Nacional de Meteorologia é que a chuva diminua nesta segunda-feira.

As chuvas do fim de semana não castigaram apenas as cidades da Costa Verde. Vários municípios de outras regiões do estado sofreram com enchentes. Em Nova Friburgo, na Região Serrana, casas foram destelhadas, e moradores perderam pertences. Em Barra Mansa, no Vale do Paraíba, houve alagamento, e moradores ficaram desalojados no Bairro Colônia Santo Antônio.

Últimas de Rio De Janeiro