Jovem é baleada em tiroteio no Morro dos Prazeres e seu estado é muito grave

Taís de Souza Santos, de 13 anos, foi atingida na cabeça na noite desta terça-feira durante confronto entre PMs e traficantes

Por O Dia

Rio - Uma adolescente foi atingida na cabeça durante o tiroteio entre policiais e traficantes que ainda atuam no Morro dos Prazeres, em Santa Teresa, na noite desta terça-feira. Taís de Souza Santos está internada no Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro, e seu estado de saúde é gravíssimo. 

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, ela necessita passar por uma cirurgia, mas devido ao seu estado de saúde delicado, a equipe de neurocirurgia que a avaliou não liberou a realização da intervenção.

Desde a madrugada desta quarta-feira o policiamento foi reforçado pelo Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) e agentes da unidade. A assessoria de imprensa da UPP informou que criminosos iniciaram o confronto quando os policiais militares patrulhavam as ruas Gomes Lopes e Almirante Alexandrino.

Ataques em que policiais ficaram acuados também ocorreram recentemente na Ladeira dos Tabajaras, em Copacabana. Segundo o relato também feito via rádio e obtido pelo DIA, o grupo foi surpreendido por 20 bandidos armados de fuzil. Na ocasião, os policiais estavam sem munição para escapar dos rivais.

LEIA MAIS: Áudio mostra PMs de UPPs pedindo socorro

Segundo o comando da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Prazeres / Escondidinho, policiais em patrulhamento foram recebidos a tiros por criminosos na localidade conhecida como Quadra da Barreira, na parte alta da comunidade. O policiamento segue reforçado com o apoio de outras UPPs nesta manhã e não há registro de tiroteios.

Nesta terça-feira, novos áudios que a reportagem do DIA teve acesso revela policiais militares da UPP dos Prazeres, em Santa Teresa, acuados diante da ação de criminosos. Na gravação, policiais pedem socorro ao comandante da UPP Prazeres, encurralado no confronto. Um policial ficou ferido na ação em Santa Teresa e foi levado para o Hospital Central da PM, no Estácio.

A Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), no entanto, afirmou que somente pela voz não é possível afirmar que sejam PMs dos Prazeres. A CPP disse apenas que após o confronto foi solicitado o reforço durante a madrugada do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope). 

A troca de tiros ocorreu uma semana depois de outro episódio semelhante em que PMs precisaram de ajuda. Na gravação, um deles solicita a presença do Batalhão de Choque, para evitar “acontecer uma tragédia”.


Últimas de Rio De Janeiro