Adolescente baleada em Santa Teresa tem morte cerebral, diz família

Taís de Souza Santos foi atingida na nuca por uma bala que atravessou a janela da sua casa, no Morro dos Prazeres

Por O Dia

Rio - A adolescente de 13 anos que foi baleada na cabeça durante um tiroteio policiais e traficantes no Morro dos Prazeres, em Santa Teresa, teve morte cerebral nesta quinta-feira, informaram familiares da vítima. Taís de Souza Santos foi atingida na nuca por uma bala que atravessou a janela da sua casa, no Morro dos Prazeres. Desde terça-feira, ela estava internada no Hospital Souza Aguiar, no Centro. A Secretaria Municipal de Saúde ainda não confirmou a informação.

Taís de Souza tinha apenas 13 anosReprodução

A mãe da menina, a doméstica Geovana de Souza, pediu aos médicos para que os aparelhos permanecessem ligados no Hospital Souza Aguiar. 

No fim da tarde, cerca de 60 moradores, entre amigos e vizinhos de Taís, fizeram manifestação pacífica para pedir paz na comunidade, que ganhou uma UPP em fevereiro de 2011.

Alguns usaram camisas brancas e faixas com os seguintes dizeres: “Guerra para que?”, “Chega de guerra” e “Prazeres pede paz”. Eles se concentraram na entrada do Morro dos Prazeres, na Rua Almirante Alexandrino.

De acordo com informações da 7ª DP (Santa Teresa), as investigações estão em andamento para apurar as circunstâncias do tiro que atingiu Taís dentro de casa.

Parentes da vítima foram intimados para prestar depoimento e estão sendo aguardados na unidade. Ela foi por volta das 22h de terça-feira. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, ao chegar à unidade, a adolescente precisou ser reanimada e não pode ser operada devido à gravidade do ferimento.

A bala que atingiu a menina, entrou pela janela e ainda quebrou a tampa de vidro do fogão da casa. No momento em que Taís foi atingida, como informou a PM, agentes da UPP Prazeres/Escondidinho teriam sido atacados por criminosos enquanto faziam patrulhamento na localidade de Quadra da Barreira, na parte mais alta da comunidade.

Policial filmou a manifestação de moradores no Morro dos Prazeres%2C mas não houve problemas Ernesto Carriço / Agência O Dia


Últimas de Rio De Janeiro