Prefeitura decide implodir hospital na Zona Oeste

Secretário municipal de Saúde diz que a estrutura do edifício de sete andares está comprometida

Por O Dia

Rio - A prefeitura decidiu implodir o prédio do antigo Hospital Estadual Olivério Kraemer, em Realengo — em 2011, o então governador Sérgio Cabral anunciou que no local haveria um centro de trauma. Daniel Soranz, secretário municipal de Saúde, diz que a estrutura do edifício de sete andares está comprometida. Segundo ele, o prédio, abandonado há 30 anos, fora transformado numa espécie de depósito de material velho e que deixara de ser utilizado no Hospital Albert Schweitzer, que fica na mesma rua.

Novo destino

Nesta semana, a prefeitura retirou uma grande quantidade de lixo do Olivério Kraemer. No terreno haverá um estacionamento e um centro de acolhimento de acompanhantes de pacientes do Albert Schweitzer, que passou para a Secretaria Municipal de Saúde.

Confusão

A situação do Hospital Rocha Faria, em Campo Grande, outro que passou para o município, é bem complicada. Lá a prefeitura encontrou médicos estatutários, cooperativados e os contratados por uma Organização Social (OS) e por uma empresa. De acordo com Soranz, toda a operação será repassada para uma nova OS.

Dureza na folia

Servidores estaduais vão pular de raiva nos dias de folia: em fevereiro, só vão receber salário no dia 11, depois do Carnaval. Vale também pro pessoal da Assembleia Legislativa.

Professores e parto

Projeto de lei do deputado Gustavo Tutuca sancionado ontem por Pezão determina que apenas professores formados em Educação Física poderão dar aulas da disciplina. O governador também assinou projeto, da bancada do Psol, que impede a colocação de algemas em presas na hora do parto.

Últimas de Rio De Janeiro