Secretário diz que OS pode ser trocada caso denúncias se confirmem

'Caso denúncias sejam graves, vamos substituir a organização social', disse Pedro Paulo em visita ao Hospital Rocha Faria

Por O Dia

Rio - Em visita ao Hospital Rocha Faria, em Campo Grande, o secretário de governo, Pedro Paulo Teixeira, disse que caso sejam constatadas irregularidades na atuação da Organização Social (OS) Therezinha de Jesus, que administra tanto o Rocha Faria quanto o Albert Schweitzer, em Realengo, ela pode ser sustituída.

"Nós também recebemos esta informação da Ação Civil Pública em relação ao estado. Nós vamos olhar, avaliar. É importante que se diga que é uma ACP, não é algo transitado em julgado ou que condenou a OS. Fizemos uma contratação de emergência para que não provocasse interrupção no atendimento à população, seja no Albert ou no Rocha Faria. Vamos avaliar a documentação e, caso as denúncias sejam graves, vamos substituir a organização social", disse. A denúncia do MP se refere a irregularidades na gestão do Albert Schweitzer.

LEIA MAIS

MP recomenda que município suspenda todas contratações por meio de OSs

Médicos vão entrar com ação na Justiça contra Pezão por crise na saúde

Mulher é socorrida no Hospital Rocha Faria%2C que está sendo assumido pela prefeitura do RioSeverino Silva / Agência O Dia

Nesta segunda-feira, o Ministério Público do Rio emitiu uma recomendação ao município para que suspensa todas as contratações por meio de OSs por conta de irregularidades, destacando o desvio de R$ 48 milhões em recursos públicos por meio de contratos da Organização Social Biotech Humanas com a prefeitura.

Segundo o documento, o município não acolheu recomendações anteriores do MP e do Tribunal de Contas do Município (TCM) de ações civis públicas e relatórios de auditorias que já demonstravam a existência de irregularidades nos contratos de gestão com OSs. Pedro Paulo desmentiu a afirmação do orgão. Segundo ele, o prefeito Eduardo Paes pediu ao Tribunal de Contas do Município (TCM) a indicação de auditores para acompanhar o processo.

"Toda vez que o MP nos trouxer recomendações, sugestões, para que se possa melhorar o processo de fiscalização, para que a gente combata o desvio de recursos, para que os processos sejam mais transparentes, serão bem-vindos e nós faremos. Não há qualquer tipo de receio com auditoria, com recomendações. Nós vamos receber essas informações e trabalhar para melhoria desses processos." 

Foi publicado nesta terça-feira no Diário Oficial do município os nomes dos auditores e técnicos responsáveis pela fiscalização nos hospitais Albert Schweitzer e Rocha Faria. Segundo o secretário, será feita a instalação de ponto eletrônico na unidade de Campo Grande. 

Reportagem de Maria Clara Vieira

Últimas de Rio De Janeiro