'Pensei que não sairia vivo' diz passageiro que ficou no meio de tiroteio

Troca de tiros entre milicianos e traficantes em Piedade, Zona Norte do Rio, deixou três feridos

Por O Dia

Rio - Marido da passageira Leida Maria, uma das feridas por estilhaço dentro do ônibus durante troca de tiros entre milicianos e traficantes em Piedade, Zona Norte do Rio, o aposentado Carlos Alberto da Silva Reis, 72 anos, contou que o confronto foi rápido e que só deu tempo de jogar a esposa no chão.

“Atiraram muito e com armas grandes. Parecia fuzil ou uma escopeta. Abracei minha esposa e ela sangrava muito no braço direito. Ainda machuquei minha mão no ônibus. Pensei que não iria escapar vivo daquele lugar. A sorte é que o ônibus estava vazio”, lembrou o aposentado.

Na última sexta-feira, o vigilante José Carlos Bueno dos Santos, de 51 anos, morreu ao ser baleado na cabeça, dentro de um ônibus, na Avenida Brasil. Ele teria sido atingido por traficantes da Vila do João, no Complexo da Maré. Segundo testemunhas, a agentes da Delegacia de Homicídios (DH), o ônibus da linha 483 (Penha x Copacabana),,passava na altura da passarela seis da via quando começou o tiroteio entre bandidos.

Vítimas foram socorridas no Hospital Salgado Filho%2C no Méier. Ônibus foi alvejado com mais de 10 tirosAndré Mourão / Agência O Dia

Uma disputa de território entre milicianos e traficantes do Morro do Dezoito, na Zona Norte, deixou três inocentes feridos dentro de um ônibus, em Piedade, na manhã de ontem. O motorista e a cobradora estão entre os atingidos por estilhaços. Durante o tiroteio outras duas pessoas foram baleadas — a polícia investiga se uma delas estava envolvida no crime.

O confronto aconteceu nas esquinas das ruas Clarimundo de Melo e Assis Carneiro. Testemunhas contaram que milicianos em um carro, recolhiam pagamentos de comerciantes da região quando encontraram com pelo menos quatro traficantes em duas motos, que saíam do Morro do Dezoito. Houve correria pelas ruas. Um homem baleado teria se escondido dentro de um bar, após ser atingido.
Todos os feridos foram socorridos e levados para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier. Policiais da 24ª DP (Piedade) investigam o caso. Segundo agentes, foram apreendidos no local um revólver calibre 357 e uma granada.

Dois ônibus foram alvejados com os tiros. Um deles estava com mais de dez perfurações nos vidros e na lataria. A maioria dos disparos foi em direção ao motorista.  Jordan Adrian da Silva, de 21 anos, foi atingido no pé, enquanto Nilton José Júnior, 56, levou um tiro no pescoço. O estado de saúde de ambos é estável.
Leida Maria de Castilho Reis, 70, foi ferida por estilhaços. Victor de Oliveira Gomes, motorista do ônibus da Linha 607 que liga Cascadura ao Estácio, sofreu ferimentos na mão e no braço. Já a cobradora Andrea Claudino de Souza se machucou no pescoço, mas passa bem.

A Polícia Civil informou ainda que aguarda a alta médica das vítimas para que possam ser ouvidas. Policiais tentam identificar os autores do crime. Na semana passada, um passageiro foi baleado e morreu num ônibus na Avenida Brasil. 

Últimas de Rio De Janeiro