Por adriano.araujo

Rio - Dados divulgados pelo Instituto de Segurança Pública (ISP) revelam que 10.262 menores foram apreendidos e levados para o sistema socioeducacional no ano de 2015. De acordo com o ISP, o valor é o maior desde que os dados começaram a ser coletados, em 1991. O aumento em relação ao ano passado é de 22,5%. Já 11.590 foram levados para delegacias do estado após serem apreendidos. Outro número que impressiona é o de número de policiais civis e militares mortos em serviço. O aumento é de 44,4%.

O número de menores apreendidos cresce no ano que a apreensão do menor virou tema de debate com a morte do médico Jaime Gold, esfaqueado por menores na Lagoa Rodrigo de Freitas, na Zona Sul do Rio, que teve repercussão internacional. Outros casos envolvendo menores e arma branca também foram registrados também ao longo do ano. Em 2014, o número de menores apreendidos foi de 7.954.

Menores envolvidos em rebelião em centro socioeducativo de Campos. Número de apreendidos em 2015 disparouDivulgação / WhatsApp do DIA (98762-8248)

Policiais mortos em serviço sobe 44%

Com o aumento da guerra entre traficantes e PMs em áreas de UPP em 2015, o número de policiais mortos subiu 44,4% em relação a 2014, representando oito mortes a mais. Destes, apenas três eram agentes da Polícia Civil. O mês com mais óbitos é o de maio, com quatro PMs e um policial civil mortos. O número de mortos fora do horário de serviço não estão relacionados nos dados do ISP.

Na contra-mão da morte de agentes de segurança pública, o indicador de homicídio doloso teve uma queda de 15,1% no estado em 2015 em relação a 2014. Segundo o instituto, a taxa de homicídio doloso por 100 mil habitantes em 2015 foi de 25,4, a segunda menor registrada em toda série histórica. A menor registrada foi feita em 2012, de 25,1.

A região com mais queda foi a Baixada Fluminense, com 461 vítimas a menos em 2015 quando comparado com o ano de 2014 , seguido pelo Interior, que registrou 186 mortes a menos no último ano. Grande Niterói e capital também tiveram queda nos homicídios com 63 e 35 vítimas a menos, respectivamente, no ano passado.

O homicídio decorrente de ação policial, quando pessoas morrem em troca de tiros com a polícia também teve aumento entre 2014 e 2015 de 10,3% (584 em 2014 e 644 em 2015).

O indicador de Letalidade Violenta, que soma  homicídio doloso, latrocínio, lesão corporal seguida de morte e homicídio decorrente de intervenção policial) também apresentou redução no estado. Foram 5.006 mortes em 2015, 713 a menos do que o ano retrasado, que registrou 5.719 mortes, uma queda de 12,4%.

Confira o resumo de outros indicadores de 2015

• Roubo de Rua (Roubo a Transeunte + Roubo de Aparelho Celular + Roubo em Coletivo) - Redução de 10,5% em relação ao ano de 2014 (95.535 em 2014 – 85.458 em 2015).

• Roubo a Transeunte - Redução de 18,5% em relação ao ano de 2014 (80.463 em 2014 – 65.560 em 2015).

• Roubo de Veículo - Redução de 4,9% em relação ao ano de 2014 (32.652 em 2014 – 31.043 em 2015).

Indicadores de produtividade policial

 • Apreensões de Drogas – Aumento de 4,3% em relação ao ano de 2014 (26.933 em 2014 – 28.089 em 2015).

• Armas Apreendidas – Aumento de 3,1% em relação ao ano de 2014 (8.649 em 2014 – 8.920 em 2015).

• Prisões (Guia de Recolhimento de Preso) – Aumento de 27,9% em relação ao ano de 2014 (32.341 em 2014 – 41.374 em 2015).

• Prisões (Auto de Prisão em Flagrante e Cumprimento de Mandado) – 56.313 pessoas foram encaminhadas à Delegacia no ano de 2015.

• Cumprimento de Mandado de Prisão - Aumento de 0,2% em relação ao ano de 2014 (20.239 em 2014 – 20.286 em 2015). O número de mandados cumpridos é o maior de toda a série histórica (que teve início em 2001).

Você pode gostar