'Carioca deve superar dificuldades como São Sebastião', diz Dom Orani

Fiéis lotam igreja dos Capuchinhos, na Zona Norte, para prestar homenagens ao santo padroeiro da cidade

Por O Dia

Rio - A chuva que cai na manhã desta quarta-feira no Rio não desanimou os fiéis de São Sebastião. A igreja dos Capuchinhos, na Tijuca, Zona Norte, amanheceu lotada de pessoas prontas para prestarem suas homenagens ao santo padroeiro que nomeou a cidade. A programação no templo teve início com uma alvorada festiva às 5h e as missas ocorrem de hora em hora. O arcebispo Dom Orani Tempesta rezou a Missa Solene na Basílica, às 10h.No Dia de São Sebastião, cariocas prestam homenagens 

Carreata com a imagem de São Sebastião%2C Padroeiro do Rio de Janeiro%2C pelas ruas da cidade nesta quartaFoto%3A Estefan Radovicz / Agência O Dia

"Creio que celebrar São Sebastião nesse momento onde vivemos crise em cima de crise, violência na cidade, intolerância mundo afora, significa que o carioca deve aprender com o santo a superar suas dificuldades. Aquele que sofreu dois martírios e não desanimou quando as flechas quiseram tirar sua vida", declarou Dom Orani. "Assim como São Sebastião, somos chamados a nunca desanimar e sempre levantar e continuar o trabalho", completou.

A grande procissão sairá do santuário às 16h, indo até a Catedral, no Centro, onde haverá o auto de São Sebastião e a missa de encerramento dos festejos no Centro, prevista para começar a partir das 18h.

Este ano a festa contou com uma novidade: motociclistas fizeram um passeio especial em homenagem a São Sebastião, que começou às 8h30 e segue para a Igreja dos Capuchinhos para acompanhar a procissão que ocorre no final da tarde.

Do lado de fora do templo, fiéis encontravam à venda fitas e rosas vermelhas, mesma cor do Santo. Porém, de acordo com um comerciante, o movimento está fraco este ano.

As comemorações começaram há 13 dias, com a tradicional trezena, quando o arcebispo Dom Orani Tempesta visitou comunidades católicas do município com a imagem de São Sebastião.

Corrida de São Sebastião

Nas primeiras horas da manhã, a Corrida de São Sebastião ocorreu no Aterro do Flamengo, zona sul. A tradicional prova faz parte das comemorações oficiais do feriado do santo padroeiro da capital fluminense. Mais de 5 mil atletas receberam a benção de dom Orani Tempesta, arcebispo da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, antes da largada, às 7h30.

O aposentado Cirilo José de Sousa, 67 anos, participa da corrida há seis anos. “Este ano, corri só 5 quilômetros (km), porque estou ruim do joelho, mas ano passado fiquei em segundo lugar na minha categoria, nos 10 km, com 38 minutos. Comecei a correr com 40 anos. Tinha me metido em coisa errada e a corrida salvou minha vida, foi uma renovação. É um vício danado”, contou.

Mudanças no trânsito

Para as procissões de hoje, a Cet-Rio montou um esquema especial de trânsito, a fim de evitar transtornos na rota dos fiéis. Será fechada meia pista da Rua Haddock Lobo, a partir das 15h30.

A operação contará com o controladores de tráfego do órgão. Serão feitos bloqueios, manutenção da fluidez do tráfego e orientação aos motoristas.

Atividades culturais espalhadas pela cidade

Além das atividades esportivas e religiosas, o dia conta com dezenas de atividades culturais no Roteiro Cultural São Sebastião, criado pela Secretaria Municipal de Cultura especialmente para a data, com boa parte da programação gratuita ou a preços populares.

Entre os destaques da programação está a feijoada com roda de samba da cantora Cassiana Pérola Negra, para celebrar o aniversário de quatro anos da Arena Carioca batizada em homenagem à mãe, Jovelina, na Pavuna. Os 100 primeiros não pagam pela feijoada. No repertório, Feirinha da Pavuna, Luz do Repente e Menina, você bebeu, além de músicas de D. Ivone Lara, Zeca Pagodinho e Fundo de Quintal. São 50 feijoadas grátis para as primeiras pessoas que chegarem, a partir das 13h.

Com classificação livre e ingresso gratuito, será apresentada às 19h a peça American Blues, no Centro Cultural Municipal Laurinda Santos Lobo, em Santa Teresa, na zona norte, baseada na obra do dramaturgo norte-americano, Tennessee Williams. Na Lona Terra, em Guadalupe, haverá aula de violão e guitarra, de graça, na manhã deste feriado de São Sebastião.

Na zona sul, o Verão Musical no Castelinho volta a agitar a garagem do Centro Cultural Municipal Oduvaldo Vianna Filho, no Flamengo, com a cantora Simone Mazzer.

O Baile do Almeidinha, idealizado pelo bandolinista Hamilton de Holanda, fará edição especial às 21h, no Imperator Centro Cultural João Nogueira, no Méier, zona norte. O ingresso custa R$ 40 e a classificação é de 16 anos.

*Reportagem de Maria Clara Vieira 


Últimas de Rio De Janeiro