Ingresso no novo Jardim Zoológico será o dobro

Empresa que vai operar o local por 35 anos terá que investir em restaurante e até hospital de animais

Por O Dia

Rio - Um novo conceito em zoológico será implantado no Rio em, no máximo, dois anos. A expectativa é da prefeitura, que publicou ontem um edital para a administração do RioZoo, na Quinta da Boa Vista. A empresa que for escolhida para gerir o local pelos próximos 35 anos terá que investir R$ 66 milhões até 2018. Por conta disso, os ingressos passarão de R$ 8 para R$ 15, prevê o edital.

Um circuito de arvorismo e tirolesa de 14 metros de altura e pelo menos 60 de extensão, um restaurante de, no mínimo, 150 lugares, e uma cafeteria com 60 lugares estão entre as novidades previstas para o local. A nova concessionária também terá que construir uma passarela sobre a ala dos primatas para observação dos animais, realizar obras para recuperação e aproveitamento do prédio histórico e criar um hospital veterinário. Terá ainda que construir um sistema que utilize pelo menos 60% de água de reúso e uma estação de tratamento de esgoto.

Edital de licitação prevê investimentos de R$ 66 milhões no ZoológicoEstefan Radovicz / Agência O Dia

O investimento deverá “priorizar a curto prazo as obras emergenciais de revitalização e adequação às normas vigentes”, diz o texto, sem fazer menção às exigências do Ibama e Ministério Público Federal que levaram ao fechamento do Zoo na última quinta-feira. 

Técnicos do Ibama e MPF vistoriaram o local na última segunda-feira e decidiram ontem, em reunião com representantes da Secretaria Municipal de Ambiente, que o espaço continuará fechado até que que seja garantido o bem estar dos animais e o atendimento adequado aos visitantes. A prefeitura — que já foi multada em R$ 5 mil — garantiu que concluirá as reformas em até 90 dias.

Com atrações que lembram os grandes parques temáticos mundiais, o novo zoo carioca é inspirado no zoológico de Gramado (RS) e não terá grades, mas sim espaços vidrados. “O projeto tem algumas semelhanças com parques mais modernos”, afirma Gustavo Guerrante, subsecretário especial de Concessões e Parcerias Público-Privadas.

A reestruturação será feita em uma área de 120 mil metros quadrados, adotando um novo conceito de parque onde os animais não ficarão confinados em recintos exclusivos como é hoje. Serão criadas grandes áreas temáticas: primatas, aves, répteis, anfíbios e insetos, felinos e caninos, ursos e savana, além de novas lojas e restaurante.

Últimas de Rio De Janeiro