Pai acusado de matar filha de 2 meses com socos na cabeça é preso no velório

Delegado afirma que acusado confessou ter matado a menina porque ela chorava sem parar e não demonstrou remorso

Por O Dia

Rio - Um homem foi preso na tarde desta quarta-feira por matar a filha de dois meses no bairro Vista Alegre, em Barra Mansa, no Sul Fluminense. O crime ocorreu nesta terça-feira. Giovane Lucas da Silva, de 27 anos, estava no velório da menina, no Cemitério Municipal, quando recebeu voz de prisão. O crime foi descoberto depois que uma enfermeira desconfiou do homem e denunciou o caso à polícia.

Segundo a polícia, Giovane contou seis versões diferentes para a morte da menina até confessar que a matou com três socos na cabeça. O delegado adjunto da da 90ª DP (Barra Mansa), Michel Floroschk, contou que Giovane foi indiferente e não deixou transparecer remorso pela morte da filha.

A menina foi morta depois que a mãe siu para ir à igreja e deixou a criança sob os cuidados do pai. De acordo com o delegado adjunto, Giovane disse ter ficado nervoso porque o bebê não parava de chorar.

O homem ainda tentou esconder que tinha matado a menina dizendo para a mãe que a criança estava passando mal. Ele levou a menina para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), mas ela chegou ao local morta. A enfermeira que prestou socorro desconfiou do caso, alertou o legista sobre possíveis maus tratos e avisou a polícia.

Segundo o laudo do Instituto Médico Legal (IML) de Volta Redonda, a menina morreu por traumatismo craniano. Giovane foi indicaido por homicídio doloso qualificado, por motivo fútil e incapacidade de reação da vítima. Ele será encaminhado para o Comlexo Penitenciário de Gericinó, no Rio.

Últimas de Rio De Janeiro