Após ser ofendido, Chico Buarque cobra danos morais de fazendeiro

No processo, cantor pede que réu publique sentença na íntegra em jornal de grande circulação e redes sociais

Por O Dia

Rio - As ofensas contra Chico Buarque podem custar caro ao fazendeiro de São Paulo, Guilherme Gaion Junqueira Motta Luiz. O cantor, compositor e escritor entrou na Justiça do Rio com ação de danos morais e pedido de indenização pecuniária contra o fazendeiro. Mas Chico não quer somente dinheiro.

A defesa do artista pediu, em caso de condenação, que Motta Luiz publique a sentença na íntegra “em jornal de grande circulação e nas redes sociais, sob pena de pagamento de multa diária no valor de cem salários mínimos”.

Chico Buarque se envolve em bate boca no LeblonReprodução Vídeo

Na noite de 23 de dezembro, Chico saía de um restaurante no Leblon com o compositor e arranjador Edu Lobo, os cineastas Miguel Faria Jr. e Ruy Solberg, e o jornalista e escritor Eric Nepomuceno, quando foi cercado e insultado por um grupo, do qual o fazendeiro fazia parte. O artista foi chamado de “petista ladrão” e “petista de merda”, entre outras ofensas. A confusão foi filmada e o vídeo, exibido na internet.

No dia seguinte, Motta Luiz continuou ofendendo Chico e sua família nas redes sociais, acusando o artista e parentes de se beneficiarem financeiramente de suas posições políticas. Chico também está processando o antiquário e jornalista João Carlos Pedroza, que, no Instagram, xingou o artista e as filhas dele de “família de canalhas.”

Milhares de artistas e fãs se solidarizaram com o o cantor na internet e em eventos públicos.

Últimas de Rio De Janeiro