Informe do DIA: Ruas do Centro vão ganhar corredor de segurança

Área será policiada por 351 agentes, das 6h às 22h

Por O Dia

Rio - Palco diário de roubos e assaltos, as ruas do Centro ganharão um corredor de segurança que começa na Praça Mauá, passa pela Candelária e a 1º de Março, e termina na Cinelândia. A área será policiada por 351 agentes, que ficarão encarregados da vigilância das 6h às 22h.

O custo estimado com o programa é de R$ 33 milhões ao ano. “Além de base financeira e econômica, o Centro é o corredor cultural da cidade e não pode ser tomado pela violência”, diz o secretário estadual de Governo, Paulo Melo.

Revitalizado, o Centro vive um boom no turismo. A previsão é que, na época da Olimpíada, milhares de viajantes passem pela região. A ideia é que o reforço no policiamento comece em maio.

Agentes

Os 351 agentes que vão patrulhar o Centro serão, em sua maioria, da reserva da Polícia Militar. O salário gira em torno dos R$ 3 mil. O lançamento do Centro Presente será publicado amanhã no Diário Oficial do estado.

Experiência

A ideia é repetir a bem-sucedida parceria com a Fecomércio, hoje associada ao Segurança Presente no Méier, na Lagoa e no Aterro do Flamengo. Os três juntos custam R$ 22 milhões anuais.

Milhões sem licitação

A Secretaria Municipal de Saúde contratou este ano sem licitação, por R$ 18,8 milhões, a Nutrindus Alimentos para preparar por seis meses as refeições dos hospitais Miguel Couto, Lourenço Jorge e Salgado Filho.

Demora

Isto porque a licitação que definiria a empresa vencedora, aberta em abril de 2015, foi adiada por conta de um recurso interposto por uma das concorrentes — até hoje a pendenga, que está no Tribunal de Contas do Município, não foi resolvida.

Consequência

A prefeitura diz que a Nutrindus foi escolhida emergencialmente por oferecer o menor preço e ter as qualificações necessárias.

Últimas de Rio De Janeiro