Por adriano.araujo, adriano.araujo
Rio - Uma festa de Carnaval realizada na Praça 24 de Outubro, conhecida como Praça de Inhaúma, na Zona Norte da cidade, terminou em pânico para os frequentadores na madrugada desta quarta-feira. Policiais afirmam que foram interromper o som alto após o horário permitido e foram recebidos a pedradas, garrafadas e tiros. Dois deles ficaram feridos. Entretanto, quem estava no local acusa a PM de truculência e que deram tiros para o alto e lançaram bombas e spray de pimenta. 
A confusão teve início por volta das 2h, quando policiais do 3º BPM (Méier) chegaram para interromper o som alto no local após o horário permitido. Os PMs disseram que foram recebidos a garrafadas, pedradas e tiros por alguns que estavam na festa. Um vídeo postado pelo Jornal Voz da Comunidade, do Alemão, mostra a movimentação dos policiais e frequentadores na praça já havia após a confusão. Disparos de tiros são ouvidos.

Quem estava curtindo a festa na praça conta que, enquanto alguns policiais pediam para os comerciantes e quem estava com carros com som ligados para desligá-los, outros PMs invadiram a área em que estava os frequentadores com uma viatura, forçando a passagem no meio da multidão. A confusão teria começado neste momento. Muitas famílias estavam com crianças e houve muita correria e pânico, segundo quem estava no local.

"De fato haviam muitas crianças, observei muitas delas chorando e as mães também, um carrinho com um bebê virou na correria e uma mão furiosa ficou sozinha a gritar com os PMs e chorar, por conta do spray em um local com tantas crianças", narrou Raull Santiago, ativista do Coletivo Papo Reto, do Complexo do Alemão, e que estava na festa.  

Publicidade
Em outro vídeo, é possível ver comerciantes que trabalhavam no local e foliões se encondendo entre as mercadorias, enquanto uma nuvem de fumaça cobre parte da praça. Uma viatura foi danificada na confusão.  Dois policiais ficaram feridos, um superficialmente na mão e o outro no braço. Não há informações de feridos entre os frequentadores, mas relatos apontam que algumas pessoas passaram mal com as bombas de gás e spray de pimenta. Perguntada se será aberta uma sindicância para apurar a conduta dos policiais, a PM informou que está apurando o caso.