Setores do PMDB consideram denúncia do MP contra Lula inconsistente

Apesar de apoiarem impeachment de Dilma, peemedebistas classificaram as provas 'fracas' e denúncia 'não tem substância'

Por O Dia

Rio - Até setores do PMDB que brigam pelo impeachment de Dilma Rousseff consideraram inconsistente a denúncia do Ministério Público paulista contra Lula, sua mulher, Marisa, seu filho Fábio e outros suspeitos de fraudes relacionadas à compra e venda de imóveis. Os promotores pediram a prisão do ex-presidente, por eles acusado de ocultar a propriedade de um tríplex no Guarujá.

Os peemedebistas classificaram as provas de “fracas” e comentaram que a denúncia “não tem substância”. Para eles, o trabalho do MP deverá fortalecer a posição de Lula.

O zelador
Para provar que Lula é o dono do imóvel, os promotores citaram corretores e moradores do prédio. O MP diz que o síndico, Mauro de Freitas, “garantiu que o comentário” é de que o tríplex é de Lula. Isto, “conforme informações levantadas com o zelador.”

‘Voz corrente’
O morador Renato Moyses “mencionou que soube” que o apartamento era do ex-presidente. Outro, Marcos Martins da Cunha, “prescreveu que teve conhecimento” de que Lula era o dono do tríplex. A corretora Isis de Moraes afirmou ser “voz corrente” de que o petista é o proprietário do tríplex.

Cegueira
Os promotores classificaram de “estapafúrdios” argumentos de Lula e Marisa e afirmaram que o ex-presidente tem “cegueira deliberada”.

Ataque
O palavrão dito pelo petista em conversa telefônica com Dilma e que vazou na internet foi classificado pelo Ministério Público de “verdadeiro ataque às instituições do Sistema de Justiça”.

Contra e a favor
Confusão no PT de Nova Iguaçu, que resolveu apoiar a reeleição do prefeito Nelson Bornier (PMDB). O vereador petista Ferreirinha diz que mantém sua candidatura, mas é acusado por colega de bancada de ter indicado pessoas para o governo do peemedebista.

Últimas de Rio De Janeiro