Por gabriela.mattos

Rio - O Ministério da Saúde quer distribuir para gestantes que recebem o Bolsa Família um repelente que, suspeito de provocar problemas neurológicos, é liberado para grávidas, mas não pode ser aplicado em crianças.

Parecer técnico da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) recomenda que repelentes que tenham concentração da substância DEET igual ou superior a 11% não devem ser usados por pessoas com até 12 anos.

O Termo de Referência do ministério para a compra de 3 milhões de litros dos repelentes diz que o produto deve atuar por, no mínimo, quatro horas: o governo admite que esta eficiência só é obtida com concentração de, pelo menos, 12% de DEET.

Mudança em análise
Ao Informe, o ministério admitiu a possibilidade de mudar as especificações do repelente, mas ressaltou que a decisão só será tomada na próxima semana. Disse que o alerta sobre riscos para crianças surgiu, semana passada, em reunião com fabricantes do produto.

Confiança
Mas o ministério afirma confiar na capacidade de a rede de atendimento alertar gestantes — mulheres pobres, com baixo nível de instrução — sobre a impossibilidade de se usar o produto em crianças. Segundo o governo, médicos, agentes de saúde e assistentes sociais estão preparados para informar as gestantes dos riscos ligados ao uso do repelente que, segundo a Anvisa, é suspeito de causar “indução neuronal”.

Aborto tardio
Uma adolescente de Campos recorreu à Defensoria Pública e conseguiu autorização da Justiça para fazer um aborto mesmo com “idade gestacional avançada”. A jovem fora estuprada pelo padrasto.

Liberou geral
Por conta do protesto anti-Dilma em Copacabana, a Smart Fit decidiu que suas 32 filiais no Rio só abrirão amanhã depois do meio-dia. A rede de academias diz que a restrição é para a segurança de funcionários e clientes, que poderiam ter dificuldade com o bloqueio de vias. O horário reduzido vale até para filiais em bairros que ficam a dezenas de quilômetros do local da passeata.

Você pode gostar