Dilma dirá que tentativa de impeachment é apenas vingança de Cunha

Presidente da Câmara anunciou que acolheria pedido horas depois de deputados do PT afirmarem que votariam pela cassação de seu mandato

Por O Dia

Rio - Na defesa que encaminhará à comissão da Câmara dos Deputados que analisa a abertura de processo de impeachment, Dilma Rousseff dirá que a tentativa de retirá-la do poder sofre de um “pecado original”: alegará que a representação contra ela foi recebida e encaminhada por Eduardo Cunha apenas para se vingar do governo.

O presidente da Câmara anunciou que acolheria o pedido de impeachment horas depois de deputados do PT afirmarem que votariam pela cassação de seu mandato. 

Os pontos de Dilma

Dilma, que será representada por José Eduardo Cardozo, advogado-geral da União, insistirá também em dois pontos que foram levantados por suas testemunhas de defesa.

Pedaladas

O primeiro ponto ressalta que as pedaladas fiscais foram cometidas por outros presidentes e eram admitidas pelo Tribunal de Contas da União. O segundo frisa, que mesmo se forem consideradas ilegais, as pedaladas não seriam motivo para impeachment, já que representariam desrespeito à Lei de Responsabilidade Fiscal — este tipo de infração não é previsto na lei do impeachment.

No cargo

Em conversas com auxiliares no Palácio da Alvorada, Dilma deu a entender que Marcelo Castro continuará à frente do Ministério da Saúde. Várias vezes afirmou que passaria algumas tarefas ao “Marcelinho”. O cargo é desejado pelo PP.

Balança, balança...

O ministro das Minas e Energia, Eduardo Braga, tem chances de ficar no governo. O problema é que a prioridade de Dilma é garantir votos na Câmara, e ele é ligado ao líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira (CE).

Cearenses

O governo se vira para conciliar os interesses do aliado Cid Gomes (PDT), ex-ministro da Educação, e os de Eunício. É que ambos são adversários no Ceará. Ontem, o peemedebista conversou com o ministro Ricardo Berzoini — acertaram a manutenção de titulares de cargos do segundo escalão.

De saída

Ministra da Agricultura, Kátia Abreu vai mesmo deixar o PMDB — só não sabe para que partido irá.

Mudanças no IR

A Receita Federal vai entregar ao ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, estudo que prevê mudanças no Imposto de Renda. A proposta inclui alterações nas faixas salariais e nas alíquotas — o objetivo geral é aumentar a tributação dos mais endinheirados e aliviar a mordida nos que ganham menos. O projeto inclui também a taxação de grandes heranças.

Choro premiado

Secretário estadual de Ciência e Tecnologia, Gustavo Tutuca foi chorar no ombro do governador em exercício Francisco Dornelles. O lamento deu resultado: a Fazenda liberou R$ 4,1 milhões para o Hospital Pedro Ernesto, da Uerj, que corre o risco de ser fechado. A grana irá para o pagamento de fornecedores. Do total, R$ 3 milhões foram depositados ainda ontem, e R$ 1,1 milhão ficou para depois de amanhã.

Últimas de Rio De Janeiro