'Cochilo' faz com que intenções de votos a favor do impeachment subam

No entanto, aliados de Dilma apostam que muitos dos que querem a sua saída não votarão

Por paulo.gomes

Rio - Em reunião na tarde de ontem, o governo atribuiu o crescimento de intenções de voto favoráveis ao impeachment a um “cochilo” no fim de semana — petistas e aliados teriam deixado de fazer campanha por Dilma. Mesmo assim, o Planalto insiste que a oposição não tem os 342 votos necessários para a abertura do processo contra a presidente.

Para os governistas, o clima de ‘já ganhou’ dos defensores do impedimento é para desmobilizar os defensores do mandato de Dilma. Apostam que muitos dos que se declaram favoráveis ao impedimento não irão votar.

Unidos 1

Não será fácil para Michel Temer fazer com que a Justiça Eleitoral separe suas receitas e despesas de campanha das de Dilma. O sistema do TSE revela que foi apresentada uma única prestação de contas para cada chapa. Segundo o tribunal, eventuais penalidades são aplicadas aos candidatos a presidente e a vice.

Unidos 2

Ainda em 2014, as contas de Dilma e Temer foram aprovadas com ressalvas. Ações no TSE alegam irregularidades na captação de recursos e pedem a anulação da eleição.

Expectativa

Líder do PMDB na Câmara, Leonardo Picciani insiste que votará contra o impeachment, mas políticos do partido dizem que ele deverá mudar de posição. Alegam que, em caso de impeachment, ele perderá o cargo.

Manifesto

Procuradores e promotores de Justiça lançaram novo manifesto contra o impedimento de Dilma. Em carta aos deputados e senadores, alegam que não há indícios de crimes que justifiquem o afastamento da presidente. Até a tarde de ontem, o documento tinha 129 assinaturas.

Contra Dilma

Secretário estadual de Trabalho, Arolde de Oliveira (PSC) reassumiu sua cadeira de deputado federal para votar pela saída de Dilma.

Espera

Francisco Dornelles pediu prazo de uma semana a Paulo Melo, secretário de Assistência Social, que, por não suportar mais a falta de verbas, queria deixar o cargo. O governador em exercício quer ver se consegue dinheiro para colocar algumas contas em dia. Melo topou.

Cadê o dinheiro?

A Assembleia Legislativa chamará integrantes do governo para discutir a pindaíba do estado. Quer saber o destino da grana dos impostos.

Surpresa

Presidente da Alerj, Jorge Picciani não foi avisado com antecedência da decisão do governo de adiar o pagamento de aposentados e pensionistas que recebem mais de R$ 2 mil.

Delação e Bolt

Bares que disputarão a nova edição do Comida di Buteco se inspiraram na política e na Olimpíada. O Colarinho Branco, de Nova Iguaçu, criou o petisco Delação Premiada — tiras de porco com provolone e bacon empanadas no parmesão. O Bar da Portuguesa, de Ramos, concorre com o Camarão Bolt, crustáceos salteados em molho de vinho branco.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia