Michel Temer quer aprovar principais projetos antes de setembro

Presidente em exercício teme que medidas que mudam leis trabalhistas reforcem campanhas salariais e gerem protestos

Por O Dia

Rio - Michel Temer quer aprovar no Congresso seus principais projetos antes da chegada de setembro, mês que concentra datas-base de categorias de grande capacidade de mobilização, como petroleiros, bancários e metalúrgicos do ABC paulista.

O presidente em exercício teme que medidas que mudam leis trabalhistas e previdenciárias reforcem campanhas salariais, gerem protestos e, mesmo, greves. Ele também quer aproveitar a boa vontade do Congresso neste início de governo para conseguir o sim aos projetos.

Esperança olímpica
Temer acredita que a aproximação da Olimpíada facilitará sua vida, já que o noticiário sobre o evento deverá diminuir o foco em seu governo.

Desistências 
O presidente em exercício deverá desistir da proposta de acabar com a destinação obrigatória de verbas para saúde e educação. O pagamento, por famílias mais ricas, de mensalidades em universidades federais também corre o risco de ser descartado.

CPMF
Mas o governo tende a insistir no projeto que acaba com o aumento real do salário mínimo. A criação de um imposto nos moldes da CPMF — o imposto do cheque que Dilma não conseguiu reimplantar — também está prevista.

Merenda e propina
Novo ministro dos Transportes, Maurício Quintella (PR) foi condenado em processo na Justiça Federal de Alagoas que apurou fraude na compra de merenda e na contratação de transporte escolar. As fraudes ocorreram quando ele era secretário estadual de Educação. Ele recorre da sentença que determinou a devolução de R$ 4.272.021 aos cofres públicos.

No vestiário
A escalação dos deputados Hélder Barbalho (PMDB) e Fernando Bezerra Filho (PSB) para os ministérios de Integração Nacional e de Minas e Energia foi feita pouco antes da posse de Temer.

Recado
Antes das nomeações, o senador Jader Barbalho (PMDB-PA), pai de Hélder, mandou recado para o governo — alegou problema de saúde e não foi votar no impeachment.

O sem-cargo
Na quarta, o deputado Newton Cardoso Junior (PMDB-MG) postou no Facebook foto com Temer — disse que tinha sido indicado para o Ministério da Defesa. Mas ele foi vetado pelos comandantes militares. Ontem, tratou de publicar fotos ao lado de prefeitos de cidades do interior.

Contas de Dilma
Mais problemas para Dilma. O Tribunal de Contas da União começará, na primeira quinzena de junho, a analisar as contas do governo relativas a 2015. Tudo indica que serão reprovadas, a exemplo do que ocorreu com as contas de 2014.

Ira petista
Presidente do PT municipal, Bob Calazans anda irritado com o Psol de Marcelo Freixo, que resiste à possibilidade de uma aliança para a disputa da Prefeitura do Rio. “O Psol parece ter medo de ganhar eleição”, dispara. Enquanto isso, o PT investe na candidatura de Jandira Feghali (PCdoB). O vice deve ser Edson Santos ou Gilberto Palmares, ambos do PT.

Últimas de Rio De Janeiro