Faltam cuidadores de alunos deficientes visuais nas escolas do estado

Crise financeira também deixa colégios sem intérpretes de libras e cuidadores de estudantes cadeirantes

Por O Dia

Rio - A crise financeira do estado afeta o atendimento a estudantes que precisam de ajuda específica — em escolas da rede há falta de intérpretes de libras e de cuidadores de alunos cadeirantes e com deficiência visual.

A Secretaria Estadual de Educação admite os problemas e diz que pretende regularizar os pagamentos ainda em maio. Afirma que realiza estudos para “retornar com os intérpretes o mais rápido possível”. Segundo o governo, o contrato com a Apil — que fornece os profissionais — não foi renovado.

Demissão
Segundo a Secretaria, os intérpretes, que fazem a tradução para a linguagem de sinais, estão em processo de demissão — o aviso prévio termina no dia 24. A rede dispõe de 225 destes profissionais, que atendem a 381 estudantes. Há também 107 cuidadores para 119 alunos.

Novo presidente
Deputados federais do PSDB querem que seja declarada a vacância do cargo de presidente da Câmara — o titular do cargo, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), está afastado da função por determinação da Justiça.

Impasse
A vacância possibilitaria a eleição de um novo presidente. A proposta se deve a um impasse: o segundo vice-presidente, Giacobo (PR-PR), não quer aceitar o acordo que prevê o exercício da presidência pelo primeiro secretário, Beto Mansur (PRB-SP), que assumiria na prática as funções de Waldyr Maranhão (PP-MA), que ficou desgastado ao tentar anular a sessão que tratou do impeachment de Dilma.

Diretas
O portal do Senado na internet abriu consulta sobre o projeto do senador Walter Pinheiro que antecipa as eleições presidenciais para 2016. Até ontem havia 5.596 votos a favor e 1.036 contra.

Últimas de Rio De Janeiro