Forças Armadas rebatem declarações de Jucá de apoio a impeachment

Em conversas gravadas em março, senador afirma que comandantes concordariam com impeachment de Dilma

Por O Dia

Rio - Como publicado na edição desta terça-feira de O DIA, os comandos das três forças armadas se manifestaram, a pedido do 'Informe do DIA', sobre as declarações do Romero Jucá. O senador, em conversas gravadas, citara uma eventual concordância de comandantes militares com processo de impeachment de Dilma Rousseff.

A Aeronáutica e a Marinha negaram qualquer conversa recente com o peemedebista e ressaltaram sua distância de questões políticas.

O Exército disse que recebeu "inúmeros parlamentares, de diversos partidos, independente de matiz ideológico. Os assuntos tratados tiveram como escopo o interesse público e o Exército."

A Marinha e o Exército ressaltaram que estão atentos à conjuntura nacional e frisaram seu papel na manutenção da ordem.

A seguir, a íntegra das respostas das três forças:

Aeronáutica
"Com relação aos seus questionamentos, este Centro informa o seguinte:
Não houve conversas reservadas ou audiências entre o Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato e o senador Romero Jucá desde que assumiu o Comando da Aeronáutica.

O Comando da Aeronáutica é uma instituição de Estado e não se manifesta sobre assuntos políticos."

Marinha
"Em atenção à sua solicitação, a Marinha do Brasil esclarece que, como uma das instituições permanentes definidas na Constituição Federal, organizadas com base na hierarquia e na disciplina, está associada apenas às questões de Estado, sem tomar partido nos assuntos de cunho político.

A Força, na sua destinação de defesa da Pátria, de garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem, tem permanecido atenta à atual conjuntura nacional, no que se refere à manutenção da estabilidade e da ordem pública.

Finalmente, o Comandante da Marinha encontrou-se com o então senador Romero Jucá, há cerca de um ano e dois meses, no dia 30 de março de 2015, quando este era Relator do Orçamento Geral da União, em um almoço no Gabinete do Comandante da Marinha, em Brasília-DF, para tratar de assuntos referentes ao orçamento desta Força."

Exército
"O Exército Brasileiro (EB) mantém relações institucionais com integrantes dos três poderes da República. O Comando do Exército recebeu inúmeros parlamentares, de diversos partidos, independente de matiz ideológico. Os assuntos tratados tiveram como escopo o interesse público e o Exército.

O EB, em razão de sua missão constitucional, que lhe atribui como destinação a defesa da pátria, a garantia dos poderes constitucionais e, por solicitação destes, da lei e da ordem, acompanha todas as variáveis que compõem o estudo das conjunturas nacional e internacional, que possam ensejar possibilidade de emprego da Força."

Últimas de Rio De Janeiro