Operação retira 38 ônibus de circulação no Rio e na Região Metropolitana

Maioria dos coletivos lacrados apresenta irregularidades como extintores de incêndio desregulados, bancos soltos, documentação e falhas técnicas

Por O Dia

No segundo dia da operação Roleta Russa, realizada nesta segunda-feira, o Procon interditou 38 ônibus que circulam no Rio e no município de São Gonçalo. Os coletivos das empresas Braso Lisboa, TransUrbe, Verdun, Rio Ita e Galo Branco apresentaram diversas irregularidades. O principal problema encontrado foi de acessibilidade: em quase todos os ônibus os elevadores para cadeirantes estavam quebrados.

Procon-RJ interdita 38 ônibus no segundo dia da Operação Roleta RussaDivulgação

A operação, determinada pela Secretaria de Proteção e Defesa do Consumidor, faz parte de uma série de fiscalizações transportes coletivos do Rio iniciada na última sexta-feira, quando 22 ônibus foram interditados.

Nas empresas Braso Lisboa, em Inhaúma, e TransUrbe, no Engenho de Dentro, Zona Norte, o Procon lacrou a maior quantidade de ônibus. Nas duas empresas, 24 veículos foram impedidos de sair da garagem.

A maioria dos ônibus lacrados apresentou irregularidades, como extintores de incêndio desregulados, bancos soltos, documentação e problemas técnicos em elevadores para cadeirantes. Policiais do 3º BPM (Méier) e do 7º BPM (São Gonçalo) deram apoio à operação.

Procon-RJ interdita 38 ônibus no segundo dia da Operação Roleta RussaDivulgação

“As empresas de ônibus maltratam os deficientes e enganam o governo. Elas colocam a quantidade de elevadores nos ônibus exigida pelo estado, mas quase nenhum funciona. Quebrou uma vez, não se conserta mais. Agora, vão ter de consertar”, disse a secretária estadual de Proteção e Defesa do Consumidor, Cidinha Campos.

Os responsáveis pela Braso Lisboa chegaram a dizer para os fiscais que teriam como consertar os elevadores de cinco ônibus interdidatos. “Mas se eles podem consertar, por que estavam sem funcionar? Isso é pouco caso das empresas, que não respeitam o deficiente”, salientou Cidinha.

Ação desencadeada após acidentes

Em São Gonçalo, as empresas Rio Ita e Galo Branco também foram autuadas por seus veículos apresentarem problemas.

A ação foi iniciada após a série de acidentes graves envolvendo ônibus desde o início de abril; treze pessoas morreram desde então. Por isso, a operação Roleta Russa tem como foco verificar se o usuário de ônibus tem segurança ao entrar no veículo. Problemas relativos à documentação e à manutenção dos veículos têm sido prioridade nas vistorias.

Os agentes do Procon vistoriam itens como pneus, extintores, estado de conservação de bancos e dos veículos, documentação entre outros. O objetivo é que a operação Roleta Russa atinja às empresas de ônibus de todo o estado. A fiscalização tem acontecido durante a madrugada para não prejudicar o serviço nas garagens.

Últimas de _legado_Rio