Por adriano.araujo, adriano.araujo
Rio - A Justiça determinou, no final da noite desta terça-feira, que as obras do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), em Itaboraí, fossem paralisadas. De acordo com a decisão, as licenças ambientais foram anuladas. A Petrobrás, responsável pela obra, e o governdo do Rio, não informaram mais detalhes do processo. Na manhã desta quarta-feira, diversos operários foram ao canteiro de obras, mas foram impedidos de trabalhar. A preocupação ambiental é com o escoamento de derivados do complexo, que atravessa o Rio Guaxindiba.
No Comperj serão processados 165 mil barris de petróleo por dia, até abril de 2015. E a partir de janeiro de 2018, a capacidade aumentará para 300 mil. A unidade contará com trens de refino e unidade de produção de lubrificantes, aromáticos e processamento de gás natural produzido no pré-sal.