Por cadu.bruno
Rio - Os três homens presos acusados de estuprar uma jovem de 18 anos, no início da madrugada desta sexta-feira, na Baixada Fluminense, violentaram duas jovens horas antes do segundo crime.
De acordo com a polícia, por volta de 22h30, um homem que comprava um lanche na rua foi abordado pelo trio no bairro do Cabuçu, em Nova Iguaçu. Ele foi levado para um Polo branco e espancado até dizer onde morava.
Publicidade
Na casa, os bandidos encontraram a esposa da vítima, de 20 anos, e um menor de idade. Durante o assalto, uma outra menor bateu na porta de residência e perguntou se havia alguém casa. Os criminosos mandaram que ela entrasse. Os dois homens foram amarrados, de cuecas, e as mulheres obrigadas a tirar toda a roupa.
O trio então trancou os homens no banheiro e estuprou as mulheres. Após um hora de violência, eles deixaram a casa e ameaçaram as vítimas.
Publicidade
Trio é preso após empurrar carro sem gasolina
Em seguida, no bairro Paraíso, também em Nova Iguaçu, uma outra mulher, identificada como J., foi estuprada pelos homens. A vítima ficou por mais de uma hora em poder do trio. Todos são moradores de Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio.
Publicidade
De acordo com policiais do 20º BPM (Mesquita), J. contou que tinha saído de casa pouco depois da meia-noite com amigos para ir a uma boate. O grupo estava em um ponto de ônibus, na Avenida Abílio Augusto Távora, quando ocupantes de um Polo branco abordaram a vítima. Com uma faca eles a colocaram no veículo e fugiram. Os bandidos pararam em um matagal a cerca de um quilômetro do local e violentaram a jovem.
De acordo com o sargento Graciano, do 20º BPM (Mesquita), os policiais patrulhavam a avenida quando viram os homens empurrando um carro, que estava sem gasolina, por volta de 1h30. Enquanto procuravam um posto de combustíveis, o veículo pegou fogo.
Publicidade
Ainda em poder da vítima, os três homens cairam em contradição. Um deles, segundo o policial, chegou a dizer que a jovem era sua namorada e estava grávida, para justiciar o nervosismo dela. Ela contou aos PMs que havia sido vítima de violência sexual e ameaçada pelo trio quando perceberam que seriam abordados pela polícia.
Eles foram levados para a 56ª DP (Comandador Soares), central de flagrantes da região. Segundo os policiais, existe a suspeita de que os acusados poderiam estar levando a vítima para Santa Cruz, onde moram. De acordo com os PMs, em casos de estupro os criminosos costumam deixar a vítima no local do crime e fugir, ao contrário do que ocorreu.
Publicidade
Em estado de choque J. foi encaminhada para o Hospital da Posse, também em Nova Iguaçu. Ela foi submetida a exame de corpo de delito e medicada com o coquetel anti-HIV. As duas primeiras vítimas do trio foram à distrital e reconheram os acusados através de fotografias.