Por cadu.bruno
Rio - Vinte dias depois da morte do ciclista Pedro Nikolay, que foi atropelado por um ônibus na Avenida Vieira Souto, em Ipanema, na Zona Sul, no dia 30 de abril, a Prefeitura inaugurou uma nova área destinada ao treinamento de ciclistas de alto rendimento no Aterro do Flamengo no início da manhã desta segunda-feira.
A partir de agora, de segunda a quinta-feira, das 4h às 5h30, haverá interdição total das pistas da Avenida Infante Dom Henrique, no trecho entre o Trevo Estudante Edson Luiz de Lima Souto e o retorno em frente a Praça Chautemoc, e do Trevo Estudante Edson Luiz de Lima Souto, entre a Avenida General Justo e a Avenida Infante Dom Henrique.
Ciclistas nas pistas do AterroAlessandro Costa / Agência O Dia

A medida visa garantir a segurança dos atletas para que acidentes fatais não ocorram mais. Cerca de 40 atletas foram para o Aterro pedalar na abertura do espaço.

"A prefeitura ficou muito preocupada com os recorrentes acidentes envolvendo ciclistas na cidade, principalmente a morte de Pedro Nicolay, que era um atleta de alto rendimento. O treinamento destes atletas exige áreas completamente seguras para que eles possam desenvolver velocidade e ter a prática adequada", disse o secretário de Transportes, Carlos Roberto Osório, que acompanhou a inauguração da área.

Publicidade
Segundo ele, a área da orla de Ipanema e Leblon, onde Nikolay morreu, não apresentava condições adequadas para a prática do esporte. Osório diz que o Aterro é o melhor local da cidade para o treinamento de alto rendimento e acredita ser difícil a prefeitura encontrar outro lugar que ofereça total segurança aos praticantes.
"Esperamos que possamos avançar isso em outras regiões da cidade desde que seja possível dar segurança àqueles que praticam o esporte. Vamos buscar outras oportunidades, mas acho que igual a essa não vamos encontrar", afirma o secretário.
Publicidade
O presidente da Federação de Triathlon do Estado do Rio de Janeiro (FRERJ), Julio Alfaya, se mostrou satisfeito com a escolha do local e do horário de treinamento. "Os atletas não estão nem acreditando. Acho que o tempo de uma hora e meia por dia é mais que suficiente. Eles terão condições de treinamento melhores do que em qualquer outra cidade do Brasil", disse Alfaya.