Por thiago.antunes
Rio - Simone de Oliveira Domingos, mãe do volante da categoria de juniores do Fluminense Gabriel de Oliveira Domingos Costa, de 18 anos, não tem mais esperanças de que seu filho esteja vivo.
Gabriel Costa está desaparecido desde quinta-feiraReprodução Internet

O jovem saiu de casa, no bairro Km 32, em Nova Iguaçu, às 3h30 de quinta-feira, depois de beber cerveja com amigos, e não voltou para casa.

Segundo ela, Gabriel nunca deixou de dar notícias. “Não acredito que meu filho possa estar vivo. Ele nunca saiu de casa sem avisar para onde ia. Não tinha esse hábito”, afirmou Simone.

Ela contou que Gabriel chegou em casa com o uniforme do Fluminense e disse que ia se divertir. “Em seguida, ele pegou a chave do carro de um amigo e saiu sozinho”, lembrou Simone, que registrou o desaparecimento na 56ª DP (Nova Iguaçu).

Segundo Simone, o filho não tinha inimigos e, quando dormia fora de casa, voltava no dia seguinte de manhã. O atleta costumava frequentar uma casa de espetáculos em Campo Grande. “Ele não tinha rixa com ninguém e ia a esse pagode. Tinha o sonho de jogar pelo time principal do Fluminense”, desabafou.
Publicidade
O volante tem contrato com o clube até 2014. No perfil de Gabriel do Facebook, um colega pede o apoio aos contatos dos rapaz. “Vamos ter positividade sobre a situação e ter fé”, escreveu.
Apesar de ser um dos destaques da equipe de juniores, o volante tem problemas de indisciplina e são recorrentes em Xerém relatos sobre a ausência dele nos treinos.
Publicidade
O Fluminense, que acompanha o jogador há nove anos, se pronunciou sobre o caso no início da tarde.
De acordo com o comunicado divulgado no site oficial, dá apoio à família: “O clube está acompanhando o caso, que foi registrado pela família na 56ª delegacia de polícia, no sábado”, diz o texto.