Por thiago.antunes
Rio - A realização de um sonho antigo se transformou em tragédia para um grupo de amigas do Rio de Janeiro. Três moradoras da cidade morreram e outros oito brasileiros ficaram feridos, nesta segunda-feira pela manhã, na colisão entre dois balões que sobrevoavam a região da Capadócia, na Turquia. Um deles, que subia, atingiu a cesta do outro balão, que já estava no ar.
Momento em que balão onde estava brasileira caiReprodução Internet

Com o impacto da queda ao chão, Maria Luiza Gomes, 71 anos, morreu na hora. Ellen Kohlman, 76 anos, chegou a ser socorrida e levada para o hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

Moradora de Ipanema, Marina Rosas, 65 anos, foi a terceira vítima, segundo a agência de notícias turca Anatólia. Até o início da noite, no entanto, parentes de Marina ainda não tinham a confirmação oficial da morte pelo Itamaraty.

“Ficamos sabendo pelo grupo de amigas que fizeram o passeio com ela. Não tivemos a confirmação porque não encontraram seus documentos”, disse o filho Diego Rosas, que aguarda orientação do Itamaraty para decidir a ida da família até a Turquia para trazer o corpo.

Segundo ele, a mãe ficaria duas semanas no país. “Ela sempre quis fazer este passeio de balão. Era um sonho antigo dela”, conta.
O balão levava 22 pessoas: dez espanhóis, sete brasileiros, três argentinos, um português e um porto-riquenho.

“O balão foi rasgado e caiu rapidamente”, explicou o governador da província de Neveshir, Abdurrahman Savas. O casal de empresários paulistas Wagner Ferreira, 59, e Rosana Faria, 58 anos, ficou ferido. O filho Fabiano viajou para encontrar os pais. Outras brasileira, Maísa Lima foi operada após a queda.

Congestionamento aéreo é comum

No momento do acidente, cerca de 100 balões sobrevoavam a Capadócia. O congestionamento aéreo pode ter contribuído para a tragédia, segundo testemunhas. Esse é o segundo acidente com balões tripulados em menos de três meses. Em fevereiro, um deles explodiu matando 19 turistas, em Luxor, no Egito.

Casal de empresários paulistas ficou ferido. Divulgação

O Itamaraty informou que acompanha a perícia feita pelo governo turco para investigar as causas do acidente. Segundo o órgão, o traslado dos corpos será feito pelas famílias. O Ministério das Relações Exteriores colocou à disposição das famílias dois números (61) 2030-8803 ou (61) 2030-8804. Os contatos podem ser feitos pelo e-mail [email protected]

Novela estimulou turismo brasileiro na área

As belas imagens da Capadócia, exibidas na novela “Salve Jorge”, da TV Globo, impulsionaram o turismo na região famosa por suas formações rochosas, apelidadas de “Chaminés de Fada”.

Segundo dados do Ministério do Turismo turco, em março deste ano, 5.788 brasileiros visitaram o país. Desde que a novela foi ao ar, o número de turistas cresceu: 45,88% em dezembro de 2012, comparado ao mesmo mês do ano anterior.

No ano passado, 20 empresas ofereciam passeios em 140 balões, cujo voo é considerado esporte radical. Há dez anos, o serviço era feito por apenas seis empresas com 31 balões. O acidente foi o segundo com mortes em uma década, quando tiveram início os passeios.

Em 2009, um turista britânico morreu e nove pessoas ficaram feridas quando dois balões se chocaram no ar. Após o acidente de ontem, os passeios de balão foram suspensos e devem ser retomados hoje. O voo, que dura uma hora, custa entre 50 e 150 euros.
Publicidade
Halil Uluer, dono da empresa de balões, disse que o piloto era experiente. As autoridades de aviação civil da Turquia apuram as causas e responsabilidades pela tragédia.