Veneno da lata na Matinha

Projeto ‘Som na Lata’ vem transformando lixo em música na comunidade do Complexo do Turano

Por adriano.araujo

Rio - A lata de tinta jogada fora após seu uso não serve apenas para dar vida às paredes: há dois meses, o ‘Som na Lata’ vem transformando lixo em música na Matinha, uma das comunidades que fazem parte do Complexo do Turano. Todos os dias a criançada se junta no anfiteatro ao ar livre do Centro Cultural Manuel Vitorino para tocar reggae, samba e funk sob a batuta de Evandro Machado, ator e coordenador do ‘Fazendo Arte’.

“Somos finalistas do prêmio Unicef deste ano”, diz, cheio de orgulho em ver o resultado do trabalho se transformar em realidade. “Fui aluno do centro cultural e quando consegui me firmar como ator, decidi devolver o que recebi.” A devolução tem sido em forma de suor. Evandro tem feito feijoadas mensais (a próxima será dia 20 de outubro), com apresentações dos alunos, em busca de integrar os pais e arrecadar recursos. Afinal, o centro cultural tem capacidade para receber bem mais do que 80 crianças — para ele, com apoio formal, poderia chegar a 250. “Desde a pacificação as despesas aumentaram. A luz está cara.”

Todos os dias a criançada se junta no Centro Cultural Manuel Vitorino para tocar reggae%2C samba e funk sob a batuta de Evandro Machado (de verde)Estefan Radovicz / Agência O Dia

Peça sobre doenças sexuais e drogas é a menina dos olhos do projeto

?A menina dos olhos de Evandro, no entanto, é o grupo formado a partir das oficinas de teatro que acontecem no casarão. A peça ‘Bobeou, Dançou’ fala de doenças sexualmente transmissíveis e sua relação com o uso de drogas. Um dos personagens é o ‘Crack’, monstro que tenta convencer os jovens a fazer sexo sem camisinha, entre outras insanidades causadas pelo uso da droga. “Perdi muitos amigos de infância para as drogas. A peça fala sobre as escolhas que as pessoas podem fazer na vida.”

?Vidigal ecológico

Destaque na primeira edição do Guia das Comunidades, a caminhada até o topo do Dois Irmãos, no Vidigal, será alvo de campanha de conscientização amanhã, com a Caminhada Ecológica da Primavera. A Associação de Moradores local está preocupada com a trilha e o lixo que tem sido jogado nela.

?Sem choque de ordem

A ideia do evento é reunir grupos representativos da comunidade para discutir alternativas ao fluxo crescente de visitantes. Segundo a associação, é preciso que o acesso seja ordenado, já que a trilha passa por áreas de reflorestamento que garantem a estabilidade das casas da comunidade.

?Apito comunitário

Quatro jovens árbitros da Copa Zico 10, campeonato de favelas do Rio, dão os primeiros passos para se profissionalizar. Com boas atuações, foram convidados a apitar amistoso entre os masters da PM e da Secretaria de Segurança, no Estádio do Bonsucesso.

?Onde está o 739?

Os moradores do Batan e do Fumacê reclamam da linha 739, da Viação Bangu, que segundo eles não cumpre o itinerário original e põe apenas seis carros para rodar, quando o contrato de concessão fala em 11. Por conta disso crianças ficam sem estudar, pois não têm como chegar ao outro lado de Realengo.

?Eu, jovem carioca

‘Do Luiz da pipoca, ao Zé da banca; O palhaço que ilude o turista; É o mesmo que encanta a criança; O concreto tampa a paisagem; As árvores estão em extinção; A única coisa que resta; É a fé junto à poluição’. A poesia de Guga Caldwell é uma das finalistas do concurso literário que o DIA apoia.

?Agenda

?GROTA

A Orquestra de Cordas da Grota, formada por jovens da comunidade, se exibe amanhã, no Teatro Municipal de Niterói, às 19h. A meia entrada vai custar R$ 25.

SANTA MARTA

Um mutirão para continuar a pintar as casas da comunidade vai acontecer hoje, no Santa Marta. O ponto de encontro é na Praça Corumbá, que fica aos pés do morro, às 9h. De lá, os voluntários seguem morro acima.

ALEMÃO

A camerata do maestro Tiago Cosmo se apresenta hoje, na Estação Itararé do Teleférico do Alemão, às 15h30.

?Rio sem Fronteiras na TV

O 2º programa ‘Rio, Cidade sem Fronteiras’, que debateu novas lideranças no Fallet, vai ao ar nesta terça, na TV Alerj, às 21h50.

Últimas de _legado_Rio sem Fronteiras