Por thiago.antunes

Rio - Separados por um morro e pela rivalidade incitada por facções distintas do tráfico, Vila Kennedy e Vila Aliança dão hoje mais um passo em busca das raízes comuns com a exibição do documentário ‘Remoção’, de Luiz Antonio Pilar e Anderson Quack, como parte dos festejos pelos 50 anos de suas criações. A iniciativa faz parte do sonho de George Cleber Alves da Silva, o Binho Cultura, criador da Feira Literária da Zona Oeste.

Binho Cultura incentivou documentárioDivulgação

“A Vila Aliança é o primeiro conjunto habitacional da América Latina. Depois vem a Vila Kennedy. Elas foram formadas a partir dos removidos das favelas do Pasmado (Botafogo), Praia do Pinto (Leblon) e Catacumba (Lagoa) nos anos 60, que estão no documentário”, conta Binho. “Minha geração foi criada aprendendo ‘eu não posso ir lá’ e ‘eles não podem vir aqui’. A gente tem de deixar de ser notícia nas páginas policiais.”

O documentário passará no auditório do Centro Comunitário Irmãos Kennedy, onde depois acontecerá debate entre ‘aliancistas’ e ‘kennedistas’. Binho acha que chegou a hora de quebrar o estigma da rivalidade que atingiu seu auge nos bailes funk dos anos 80. “Vamos eu e mais 15 à Vila Kennedy. Chega de rivalidade.”

Microcrédito decola

A AgeRio, agência de fomento do governo estadual que atua também entre microempreendedores de favelas, projeta um crescimento de mais de 200% nas operaões de empréstimo nas 36 comunidades pacificadas. Em vez das 2 mil operações deste ano, 2014 terminará com, no mínimo, 7 mil transações, diz o presidentes Domingos Vargas.

'Com esta laje, vamos trazer pelo menos 50 crianças para cá', diz coordenadorAlexandre Brum / Agência O Dia

Arte de bola cheia

Vencedor do prêmio Itaú/Unicef de produção cultural em comunidades em 2013, o projeto Fazendo Arte, na Matinha, vai usar parte dos R$ 25 mil que ganhou para reabrir sua laje. Lá, após a reforma da escada de acesso e parapeitos, acontecerão aulas de ballet. “Com esta laje vamos trazer ao menos mais 50 crianças para cá”, diz o coordenador Evandro Machado.

'Ladrão' no Santa

Uma das jovens lideranças do Santa Marta, Thiago Firmino reclama do constante vazamento da caixa d’água da Cedae, ao lado da sede da UPP. Segundo ele, o automático que deveria desligá-la quebrou há um mês e por isso a água sai pelo ladrão — no caso, o valão da favela. O presidente da Associação de Moradores, Zé Mário Hilário, diz que já cobrou da Cedae.

Morar Carioca 2

A antiga Colônia Juliano Moreira, em Jacarepaguá, vai ganhar mais três mil apartamentos, além dos 1400 já em construção, pelo programa Minha Casa, Minha Vida. Pelo Morar Carioca, a Vila Joaniza e a Vila São Jorge estão em licitação. Barreira do Vasco, Vila do Mexicano e os loteamentos Sociólogo Betinho e Bosque dos Pássaros, na Zona Oeste, são os próximos.

Funk é programa de turista no Turano

O Baile Funk da Raia, no Turano, virou programa para turistas. Wilson Moraes, morador da favela e fundador da microagência Turantour, que funciona dentro da comunidade do Rio Comprido, tem levado grupos de visitantes, brasileiros e estrangeiros, para curtir o batidão. “Busco na rua, levo no baile e deixo no asfalto novamente. O novo comandante da UPP é mais flexível”, conta Wilson. O baile começa às 18h, esquenta por volta das 21h e termina meia-noite. O programa inclui fotos com o DJ Cyborb. “O pessoal adora.”

Fallet

Ao menos 100 crianças do GF Team, que treinam na Amavale, trocam de faixa hoje de manhã. O projeto é encabeçado por Julio Cesar Pereira.

Alemão Solidário

O Complexo do Alemão promove hoje e amanhã show para arrecadar alimentos não perecíveis, roupas e brinquedos para os desabrigados das chuvas. A partir das 13h, no Campo do Sargento.

Curta Santa Marta

Hoje, às 16h, a ONG Atitude Social convida para festa de fim de ano, com música, cinema e bateria mirim. Estação 4 do Plano Inclinado, Santa Marta.

Seminário em Bangu

Hoje e amanhã acontece o 1º Seminário do Movimento Visão Suburbana, em Bangu. Indigenas e umbandistas falam sobre empreendedorismo. Informações e inscrições: [email protected]

A Associação de Moradores da Mineira prepara reunião entre moradores, garis comunitários e a direção da Comlurb para tentar dar um basta ao problema do lixo que se acumula em terreno baldio na parte alta da Rua 1º de Maio. Há relatos de ataques de ratos.

Você pode gostar