Por thiago.antunes

Rio - Se as empresas querem conquistar os consumidores da favela, precisam antes de tudo tratar bem seus clientes. A conclusão faz parte da tese de doutorado da antropóloga Hilaine Yaccoub, 35 anos, desde 2011 dividindo sua vida entre Niterói e a Barreira do Vasco, onde mora durante a semana. “Não poderia falar da favela sem morar lá. Fui e percebi que ninguém faz gato porque quer. Em muitas situações, ou você faz, ou não tem o serviço”, conta ela.

Hilaine Yaccoub%2C 35 anos%2C desde 2011 dividindo sua vida entre Niterói e a Barreira do Vasco%2C onde mora durante a semanaDivulgação

“No gato, qualquer problema é resolvido na hora. A pessoa está ali ao lado, basta ir lá e pedir suporte.” Para ela, as empresas só entrarão no território se forem transparentes na relação com os clientes. “Não adianta prometer maravilhas e pôr letras miúdas nos contratos, como multas por cancelamento de serviço. As empresas precisam melhorar. Com o gato, é cultural. O sujeito diz que vai fazer e faz. É preciso ser assim.”

Não à especulação

Enfrentando uma inflação acima da média nos mercados e com preços de aluguéis explodindo, o que leva à migração de moradores antigos, o Vidigal vai discutir o processo de gentrificação da favela num ciclo de debates, a partir do dia 18 de março. A iniciativa é da Associação de Moradores local, em conjunto com a ONG ComCat (Comunidades Catalisadoras).

Vik Muniz no Vidigal

E por falar em Vidigal, em julho a favela ganhará uma escola de alfabetização visual, iniciativa do artista plástico Vik Muniz para incentivar o surgimento de talentos na arte. Vik, que esta semana ergueu na Vila Olímpica da comunidade a obra ‘A Bola’, sobre futebol, acha que, ao se alfabetizarem, as crianças deixam de usar a linguagem da arte.

O Santa Marta ferve

As contas da Light, com preços acima da média, estão deixando o Santa Marta em polvorosa. Semana passada os moradores se reuniram para discutir uma forma de conter os aumentos, que consideram abusivos. Um dos líderes do movimento, Thiago Firmino prepara manifestação para esta semana caso não se encontre uma solução. O mesmo acontece no São Carlos.

Prêmio à UPP Social

O programa UPP Social, gerido pelo Instituto Pereira Passos (IPP) em parceria com a ONU Habitat, acaba de receber o prêmio Scroll of Honour, que valoriza iniciativas para promover a qualidade de vida da população que não possui casa, mora em situação de risco ou em condições precárias. A premiação será em abril na cidade de Medellín (Col), que inspirou o programa das UPPs.

A tristeza de Binho e da VK solidária

Criador da Feira Literária da Zona Oeste e articulador da paz entre as vilas Kennedy e Aliança, Binho Cultura anda triste com o noticiário sobre o conjunto habitacional, que anda nas manchetes por conta da guerra entre facções do tráfico. “Na semana passada o movimento Vila Kennedy Solidária reuniu seis mil pessoas em paz e ninguém falou nada”, lamenta. “A imagem negativa

Picnig em Manguinhos

Hoje, a partir das 11h, acontece o Picnic Literário com troca de livros e pratos levados pelos visitantes. Quadra do Mandela 2 (Rua Leopoldo Bulhões 700, Via 1, Quadra 32).

Batalha do Conhecimento

Terça, o Museu de Arte do Rio (MAR) recebe a Batalha do Conhecimento, que mistura hip-hop, dança e música clássica, a partir das 17h. Entrada franca. Endereço: Praça Mauá, 5.

Bloco no Vidigal

Hoje, a partir das 22h, acontece o último ensaio na quadra na entrada da comunidade. Amanhã tem desfile na Praia de São Conrado, em frente ao Gávea Golf Clube, às 14h.

Poesia na Cidade de Deus

O Poesia de Esquina se encontra nesta terça a partir das 20h, com o tema: ‘Rolezinho’, com Vladimir Maiakóvski, no Bar Do Tom Zé - Est. Miguel Salazar Mendes De Morais 1595.

Black Santa

O Black Santa, movimento cultural do Morro dos Prazeres, faz a festa hoje na Praça Doce Mel, com batalha de break e pista a partir das 17h. Quem for ao evento vai curtir a vista do Caminho do Grafite, projeto que colore as casas da região com obras de grafiteiros, como SWK.

Você pode gostar