Por bianca.lobianco

Rio - Quatro anos após chegar ao Vidigal, para onde foi cansado da “vizinhança fria” do Alto Leblon, o designer gráfico André Koller, 41 anos, continua apostando na favela que o acolheu: em dezembro lançou a terceira edição do mapa ‘Vidigal 100 Segredos’, com detalhes do morro. Na cabeça, a ideia fixa de ajudar na integração com a cidade formal. “É um mapa para quem vive aqui, que pode ajudar quem vem aqui”, conta Koller, alemão de Wolfsburg. “Quero ajudar os moradores a se sentirem parte da cidade por terem uma representação geográfica no Rio.” No mapa, com fanpage em rede social, ele lista 108 ruas e localidades, além de bares, centros culturais, hostels, restaurantes, biroscas e comércios tradicionais. “Com esta ferramenta, a gente fortalece a cultura local.” Para festejar a tiragem de 5 mil exemplares, fez um mapão, de 2m x 1,40m, e pôs na Rua Benedito Calixto. “Vamos fazer mais três.”

Designer alemão deixou o Leblon para morar no VidigalAndré Balocco / Agência O Dia


TALITA SOBE O MORRO

Thalita Rebouças prestigiou o lançamento do projeto ‘Ninho de Livro’ no Vidigal, semana passada. A escritora abraçou a iniciativa da ONG Satrápia, que aportou no Centro Cultural ‘Cafofo da Nega’. O projeto consiste na instalação de uma ‘casinha’ de livros em que as crianças entram, escolhem o título que mais agradar e em troca deixam outro.

CIDADANIA EM ROMA

O Sesi Cidadania, da Firjan, segue a pleno vapor. Esta semana o projeto foi apresentado, no Vaticano, no congresso mundial do ‘Scholas Ocurrentes’, iniciativa do Papa Francisco. O Scholas é uma rede colaborativa de projetos sociais do mundo inteiro, que promove trocas de experiências em ações pela cidadania por meio de educação, artes, cultura e esporte.

RÁDIO SALGUEIRO

O Salgueiro voltará a ter sua rádio comunitária. Há seis meses os moradores aprendem locução, gravação e uso de equipamentos, em oficinas da ONG Pro-Natura, com professores da PUC. A última foi de Ludi Um, militante da causa. “Pesquisa mostrou que a rádio era o sonho da favela”, conta Emerson Menezes, da Padaria Caliel. A rádio também estará na internet.

TEATRO NA MATINHA

O anfiteatro do ‘Fazendo Arte’, na Matinha, no Complexo do Turano, vai crescer. Ao término das obras, em março, o palco ganhará um metro e piso apropriado tanto para o teatro quanto para as diversas oficinas infantis. “Fechamos uma parceria com a Adobe, que produz softwares”, conta o diretor Evandro Machado. A capacidade vai aumentar para 150 pessoas.

CHORINHO DE VOLTA AO PAVÃO/PAVÃOZINHO

Um dos vencedores do edital Favela Criativa, da Secretaria Estadual de Cultura, a Escola de Chorinho Solar Meninos de Luz, no Pavão/Pavãozinho, voltará à ativa até o meio do ano. “Queremos os mesmos 40 alunos que tínhamos quando fechamos”, conta a diretora Isabella Maltaroli. O projeto estava parado há três anos, após o fim do patrocínio. “As crianças daqui são muito musicais. O que não falta é talento”, diz. Há 23 anos no Pavão, o Solar agora atenderá também jovens de outras comunidades, que antes não podiam entrar no morro.

Você pode gostar