Encontro inédito reúne academia e periferia no Museu de Arte do Rio

Primeiro Fórum Estética da Periferia é idealização de Heloisa Buarque de Hollanda

Por nicolas.satriano

Rio -  Marque no calendário: terça-feira será um dia histórico, com o encontro inédito entre a estética da periferia e a academia, no Museu de Arte do Rio (MAR), Praça Mauá, sede do 1º Fórum Estética da Periferia. “Do encontro desses dois saberes, teremos algo novo”, aposta a idealizadora Heloisa Buarque de Hollanda. Segundo ela, muito já foi falado sobre a arte marginal e a inclusão no meio artístico, mas até o momento a estética dessas criações, produzidas nas comunidades, nunca foi apreciada.

'Do encontro desses dois saberes%2C teremos algo novo'%2C aposta a idealizadora Heloisa Buarque de HollandaMarcelo Correa / Divulgação

Frente a frente, quem for ao museu verá Gringo Cardia, Moacyr Novaes (pró-reitor da USP ), o antropólogo Peter Fry e a própria Heloisa, dividindo conhecimentos com o grafiteiro Airá Ocrespo, a rapper Combattente Xavier e a cineasta alternativa Yasmin Thayná. “Vamos reunir diferentes vozes e questionar o que as universidades estão fazendo pela periferia”, provoca Heloisa. O evento começa às 9h.

Vaquinha na Maré

Convidada a fazer parte da orquestra binacional Brasil/Venezuela, em outubro, em Caracas, a Orquestra Maré do Amanhã faz vaquinha por 15 passagens para a capital venezuelana. “Já tocamos no Theatro Municipal, Cidade das Artes e Sala Cecília Meireles” conta Carlos Eduardo Prazeres, fundador do grupo, que tem crianças e adolescentes da favela.

Exemplo no Circo

Palco do próximo debate ‘Maioridade: Mais Convivência, Menos Violência’, na terça-feira, o Circo Crescer e Viver, na Praça 11, é exemplo no trato de crianças e adolescentes acolhidos. Através do ‘Circo Social’, o diretor Junior Perim recebe 12 jovens que buscam uma nova chance na vida. Muitos já conseguiram. “Estamos sempre abertos para recebê-los”, diz Perim.

Não à exploração

A exploração sexual de menores em favelas, mesmo que de forma sutil, ganhou ação integrada do Instituto ProMundo. Segunda-feira acontecerá um seminário para dar visibilidade ao projeto, que alcança 35 comunidades com o objetivo de alertar, capacitar e preparar lideranças. Lins, Bras de Pina, Rocinha e Jacarezinho são algumas das comunidades já atendidas.

Uma das peças da campanha, que também já circula por Cidade de Deus, Urubu e Pavão/Pavãozinho/Cantagalo, é uma história em quadrinhos. No texto, uma menor é seduzida pelo status de andar na moto de um homem mais velho, que acaba lhe dando R$ 50. A partir disso a história mostra os malefícios da atitude, tanto para ela quanto para ele, e propõe caminhos.

Manguinhos: 136 crianças fora da escola

Pesquisada publicada em junho no jornal ‘Fala Manguinhos’, feito por moradores da comunidade, revelou dados preocupantes para um país às vésperas de aprovar a redução da maioridade penal. Nada menos do que 136 crianças estão fora da escola. Destes, a faixa etária mais atingida é a que fica entre 12 e 13 anos — 31% não têm como rotina os bancos escolares. O levantamento, feito pelos articuladores que atuam no projeto ‘Aluno Presente’, busca mapear o problema para então atrair os jovens de volta para os estudos.

AGENDA

CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS
Vila Kennedy, Manguinhos, Salgueiro, Complexo do Lins e Caju recebem, neste sábado, o Circuito de Contação de Histórias, do IPP, nas Bibliotecas Comunitárias locais.

ORIGAMI NA ZONA OESTE
As comunidades de Vila Aliança e Padre Miguel recebem hoje oficinas de origami e mangá, em projeto homenageando os 120 anos da imigração japonesa para o Brasil.

POESIA NA CIDADE DE DEUS
Na terça, o Bar do Tom Zé (Miguel Salazar Mendes de Moraes 1.595) recebe o Sarau Poesia de Esquina, a partir das 19h, a edição receberá a poetisa local Dona Tuca.

SARAU PORRETA NA MAUÁ
Arraiá, poesia, quitutes típicos, artesanato, cordel e baião são apenas algumas das atrações do Sarau Porreta, no Largo São Francisco da Prainha, segunda, às 17h.

Com Tássia Di Carvalho

Últimas de _legado_Rio sem Fronteiras