Cufa lança Festival de Lutas e elege suas 'Musas do Octógono'

Vencedora do concurso, Carolina Cacau quer mostrar o valor do Complexo do Alemão

Por karilayn.areias

Ana Carolina Cacau (e) e Evellin Bernardo posam na sede da CufaDivulgação

Rio - O MMA entrou de vez nas comunidades. Convencido pelo filho Thales, de 19 anos, Celso Athayde, fundador da Confederação Única das Favelas (Cufa), decidiu encampar o sonho dos meninos e meninas que vivem nos morros do Rio e colocou as favelas na agenda de sua entidade com o Primeiro Festival de Lutas.

“Eu achava muito violento, mas quando fui no Dendê e no Alemão e vi a forma como os garotos se dedicam, mudei de ideia”, diz.

E mudou rápido. Ontem, a Cufa elegeu duas ‘ring girls’ (garotas do octógono) que participarão do Primeiro Festival de Lutas da entidade, que começa dia 30 com MMA, capoeira e muay thay. A parceria com Rodrigo Minotauro teve quatro eventos teste que acabaram acelerando o processo. “As meninas reclamaram que só tínhamos ‘ring girls’. Então hoje começam as inscrições para os garotos do octógono”, emendou. “Mas só vale morador de favela.”

Vencedora do concurso de ontem, Ana Carolina Cacau, do Alemão, acredita que o sucesso a levará a uma carreira de modelo. “Hoje, trabalho ajudando meu pai, mas quero muito fazer a minha faculdade de marketing”, diz a loura de 20 anos. “Quero ajudar a mudar a imagem da comunidade. Aqui é mais do que guerra.”

Cacau conquistou o primeiro lugar e deixou a morena Evellin Bernardo, do Tereirão, em segundo lugar ontem. Mas quem está ganhando com a disputa é o morador da favela. “É o que digo sempre. No Alemão tem muito talento escondido, à espera de oportunidade”, concluiu Cacau.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia