Por thiago.antunes

Rio - Três tubulações da Cedae estouraram, na tarde desta quarta-feira, na Praça da Bandeira e na Zona Sul do Rio. Segundo a companhia, a tubulação na Zona Norte foi atingida pelas obras do piscinão contra alagamentos no local. Já na Zona Sul, os acidentes ocorreram na Praça Antero de Quental, no Leblon, e na Rua Barão da Torre, em Ipanema. Ambas foram danificadas por obras da Linha 4 do Metrô.

Ainda de acordo com a Cedae, o abastecimento ficará comprometido nas localidades, mas o problema deve ser resolvido até o fim da noite desta quarta. 

Procon foi fiscalizar carros-pipa

A Secretaria de Estado de Proteção e Defesa do Consumidor (Seprocon), através do Procon, foi às ruas nesta quarta-feira para fiscalizar as empresas de carros pipa que abasteceram seus caminhões nas bicas da Cedae nos dias 26, 27 e 28 de outubro. O objetivo da Operação Piratas do Guandu é identificar as empresas que se aproveitaram da recente falta d'água na Região Metropolitana do Rio, devido a paralisação da Estação de Tratamento de Guandu, para cobrarem preços abusivos pelo serviço de fornecimento de água.

Carros-pipa cobraram preços abusivos%2C de até R%24 5 mil%2C aproveitando a alta procura de água por causa do desabastecimento causado pela CedaeEstefan Radovicz / Agência O Dia

Caso constatada a irregularidade, as empresas serão autuadas e multadas, com base no artigo 39, inciso X do Código de Defesa do Consumidor (CDC), que considera ilegal a prática abusiva deelevar sem justa causa o preço de produtos ou serviços.

Ação da Alerj exige que Cedae custeie compra de água

Depois de alguns bairros do Rio ficarem sem água pelo quinto dia consecutivo, a Comissão de Defesa do Consumidor da Alerj entrou, nesta terça-feira, com um pedido de liminar na Justiça para obrigar a Cedae a normalizar o abastecimento em 24 horas. A ação deverá ser avaliada hoje, e, conforme a decisão, o prazo estipulado passará a valer a partir da aprovação. Se não for possível cumprir a exigência no prazo, a empresa ficará responsável por contratar carros-pipa, isentando o consumidor do custo. A medida também prevê multa diária de R$ 10 mil no caso de descumprimento.

Até a noite de terça-feira, trechos de cinco bairros (Laranjeiras, Flamengo, Botafogo, Cosme Velho e Santa Teresa) estavam sem o serviço. Antes, na parte da manhã, o número de bairros afetados chegava a dez, com inclusão de partes da Grande Tijuca. A interrupção do fornecimento ocorreu na quinta-feira, para manutenção do sistema.

Moradores do Flamengo se recusaram a pagar e compraram galõesAmanda Raiter / Agência O Dia

Segundo o presidente da Comissão, deputado Luiz Martins (PDT), o problema no abastecimento é antigo. A Defesa do Consumidor da Alerj já tinha movido ação em 2010: “Não há investimento para melhoria do serviço. E, nesta crise mais recente, sequer dão uma previsão da normalização do serviço. É um desrespeito muito grande”.

O deputado completou que a Comissão também vai adotar medidas para punir quem cobrar preço abusivo e que ainda pretende incluir outros tipos de gastos, além da contratação de caminhão-pipa, para que a Cedae reembolse o consumidor. “É importante guardar nota fiscal. E, nos casos em que a empresa não fornecer, isso deve ser denunciado”, reforçou o deputado.

Você pode gostar