Por thiago.antunes

Rio - A Light informou, na tarde desta terça-feira, que o fornecimento de energia relativo às 17 subestações, interrompidas devido ao problema no Sistema Interligado Nacional (SIN), foi totalmente normalizado até às 16h24. Cerca de 600 mil pessoas foram afetadas pelo apagão, que atingiu bairros das Zonas Norte e Oeste do Rio. Segundo a concessionária, a energia será restabelecida aos poucos nos bairros.

>> LEIA MAIS: Governo nega relação de apagão com aumento de consumo

Uma interrupção no SIN levou ao acionamento do Esquema Regional de Alívio de Carga (ERAC), coordenado pelo Operador Nacional do Sistema (ONS). O ERAC tem o objetivo de preservar a integridade do SIN e o fornecimento de energia aos consumidores essenciais, como serviços públicos e hospitais.

Serviço interrompido em vários pontos do estado

As localidades que tiveram o fornecimento interrompido foram: Bangu; Campo Grande; Guaratiba; Grande Méier; Jacarepaguá; Pavuna; Inhaúma; Irajá; Penha; Cascadura e Madureira. Algumas regiões da Baixada Fluminense, como Mesquita, Belford Roxo, Queimados e Nova Iguaçu, também sofreram com a falta de energia elétrica.

De acordo com o Centro de Operações Rio, devido à falta de energia, sinais de trânsito apresentaram problemas em alguns bairros. Motoristas devem trafegar com atenção redobrada. A Guarda Municipal está na região do Grande Méier e localizou três vias com problemas de sinal com mau funcionamento: Rua 24 de Maio, Avenida Marechal Rondon e a Rua Dias da Cruz.

Pelo Twitter, o Metrô Rio e a SuperVia informaram que a circulação nos transportes não foi interrompida por conta do problema. O comércio nas localidades afetadas pelo apagão também foi prejudicado. O NorteShopping, em Del Castilho, fechou as portas por volta das 15h20, quando houve queda de energia, segundo a assessoria de imprensa do estabelecimento. Aos poucos a energia estaria voltando em algumas lojas, que permanecem fechadas.

Seguidores de O Dia 24 Horas, reclamaram da falta de informações e dos transtornos causados pelo apagão. Jussara Medeiros questionou o motivos da falta de aviso prévio. "Só quero saber se avisaram aos interessados, os consumidores?" Consumidores também questionaram a incidência do problema nos bairros das Zonas Norte e Oeste.

"Nenhum bairro da Zona Sul ficou sem luz? Nossa como eles tem sorte, ou será dinheiro?", disse a seguidora Kelly (@Menina_carioca). "O mais estranho das faltas de luz é que na Zona Sul a luz nem pisca", disse Jorge Ribeiro

A Ampla informou que 14 municípios da área de concessão foram afetados: Niterói, São Gonçalo, Magé, Araruama, Cabo Frio, Duque de Caxias, Iguaba, Itaboraí, Maricá, Petrópolis, Resende, Rio das Ostras, Saquarema e Teresópolis. Cerca de 280 mil clientes tiveram o fornecimento afetado. A concessionária informou que a interrupção ocorreu das 14h03 até às 14h50 e todas as regiões já estão com os serviços normalizados.

Outras cidades no Brasil também teriam sido afetadas pela queda no fornecimento, como São Paulo e Curitiba. A Agência Nacional de Energia Elétrica e o Operador Nacional do Sistema Elétrico ainda não se manifestaram sobre o caso.

Falta de luz gera protesto na Avenida Pastor Martin Luther King

Um protesto interdita totalmente a Avenida Pastor Martin Luther King Jr, em Irajá, na Zona Norte, na tarde desta terça-feira. Moradores protestam contra a falta de energia elétrica. De acordo com o Centro de Operações Rio, a interdição ocorre na altura da Rua Jucari, no sentido Pavuna.

Motoristas podem realizar desvio pela Estrada Coronel Vieira e pela Avenida Monsenhor Félix. Manifestantes estariam ateando fogo em objetos na pista. Há retenções.

Você pode gostar