Por adriano.araujo

Rio - O sistema de semáforos da cidade foi restabelecido às 11h55 desta quinta-feira, após passar a manhã inteira com problemas em 11 centrais, segundo informações da CET-Rio. A pane provocou o caos no trânsito em diversos bairros do Rio, principalmente na Região Central, que já vem sofrendo esta semana com as mudanças realizadas no Centro após o fechamento do Merguçhão da Praça XV e a implantação de mão dupla da Rio Branco.

A centrais voltaram a ser controladas pelo Centro de Operações da Prefeitura. Os sinais das regiões do Méier, Benfica, Cachambi e São Cristóvão, na Zona Norte, foram os primeiros a serem restabelecidos por volta das 10h30. Depois, voltaram a operar as centrais da Lagoa, Jardim Botânico e Flamengo, na Zona Sul.

Quinta-feira é de trânsito caótico no RioAlessandro Costa / Agência O Dia

Prefeitura ainda não sabe o que causou problemas em semáforos da cidade

?A Prefeitura ainda desconhece os problemas que causaram a falha na comunicação dos semáforos das regiões do Centro, Zona Sul e Norte da cidade. "Ainda não identificamos porque a programação semafórica da madrugada não virou para a da manhã. São muitas pessoas envolvidas na identificação e solução deste problema. A gente entende a causa e estamos atuando para resolver essa questão, pois estamos preocupados com a volta para a casa", disse o chefe executivo do Centro de Operações Rio (COR) Pedro Junqueira.

No período da manhã, segundo o chefe do COR, "tem uma sincronia determinada que faz com que você permita dar mais fluidez nesses eixos principais, como por exemplo a chegada ao Centro da cidade". No entanto, nesta manhã, isto não aconteceu.

Pedro explicou a diferença entre essas duas programações. "O que acontece é que você tem uma série de vias e de trechos importantes que, nos horários de rush, são privilegiados, com maior tempo de verde", disse ele. No período da manhã, segundo o chefe do COR, "tem uma sincronia determinada que faz com que você permita dar mais fluidez nesses eixos principais, como por exemplo a chegada ao Centro da cidade". No entanto, nesta manhã, isto não aconteceu.

Pedro explicou a diferença entre essas duas programações. "O que acontece é que você tem uma série de vias e de trechos importantes que, nos horários de rush, são privilegiados, com maior tempo de verde", disse ele. No período da manhã, segundo o chefe do COR, "tem uma sincronia determinada que faz com que você permita dar mais fluidez nesses eixos principais, como por exemplo a chegada ao Centro da cidade". No entanto, nesta manhã, isto não aconteceu.

Trânsito caótico no Centro

O trânsito ficou caótico nos principais acessos ao Centro do Rio na manhã desta quinta-feira. Na Ponte Rio-Niterói, o motorista perdeu pelo menos 50 minutos, com trânsito lento em toda a extensão. Não bastasse os transtornos enfrentados no trânsito após as mudanças no Centro do Rio, uma falha na comunicação dos semáforos da cidade complicou ainda mais a vida dos motoristas na região.

Trânsito está parado nos principais acessos ao Centro do RioPaulo Carneiro / Agência O Dia

Os motoristas encontraram trânsito lento na chegada ao Centro pela Avenida Brasil, na altura do Into, e no Viaduto do Gasômetro, logo na descida para a Avenida Francisco Bicalho. O panorama era o mesmo para quem segue pela Avenida Francisco Bicalho, no sentido Cidade Nova. Trânsito lento também na Via Binário, Avenida Venezuela e Rua Camerino, que apresentou retenção próximo da Avenida Marechal Floriano.

Ainda assim, este trajeto era melhor que o Trevo das Forças Armadas e a Avenida Presidente Vargas, que tinham lentidão no sentido Candelária a partir da Cidade Nova. Trânsito intenso na Avenida Passos, Praça Tiradentes e Avenida República do Paraguai.

O trânsito também era lento na Rua Benedito Hipólito e ao longo do Elevado 31 de Março, em direção à Zona Sul. Muitos motoristas escolhem esta rota para fugir do trânsito do Centro, mas acabaram enfrentando retenções na chegada à Rua Pinheiro Machado, em Laranjeiras, no sentido Botafogo. A melhor opção para a Zona Sul era o Túnel Rebouças ou Aterro do Flamengo - mesmo com carreata de taxistas - , via Região Portuária e Avenida Passos e Lapa.

>>> LEIA MAIS: Trânsito caótico leva carioca para a garupa do mototáxi

Caos também afeta a Região Metropolitana

As dificuldades não foram apenas para atravessar a Ponte, em Niterói. Quem vinha de São Gonçalo, por exemplo, também sofreu. Segundo a Autopista Fluminense, houve cinco quilômetros de congestionamento na BR-101, do km 316 ao km 321, entre as regiões de São Gonçalo e da Avenida do Contorno.

Saindo de Duque de Caxias, a situação era parecida. A Rodovia Washington Luiz, segundo a Concer, estava congestionada entre o km 117 e o km 125, no sentido Rio, devido à retenção na Linha Vermelha e Avenida Brasil.

Vindo pela Dutra, motorista que saía de Nova Iguaçu, Belford Roxo, São João de Meriti, Queimados, entre outros municípios da Baixada Fluminense, encontraram retenção na chegada ao Rio, no trecho entre a Pavuna e Irajá, no acesso à Avenida Brasil.

As péssimas condições de tráfego da Linha Vermelha e da Avenida Brasil eram reflexos da chegada ao Centro, que apresentava retenção. Quem vinha pela Avenida Brasil, por exemplo, ficava preso no trânsito, saindo da Zona Oeste, a partir de Coelho Neto. Às 10h, a lentidão era a partir da altura da BR-040. Na Linha Vermelha, as dificuldades, no sentido Centro, começavam na altura da Infraero e seguem até o Caju.

Você pode gostar