Em ato contra a Copa, manifestantes fecham a Conde de Bonfim, na Tijuca

Cerca de 150 pessoas marcham sentido ao estádio Maracanã

Por O Dia

Rio - Cerca de 150 manifestantes marcharam sentido ao Maracanã na tarde deste domingo. O protesto contra a Copa do Mundo foi realizado no dia do jogo de estreia do estádio no Mundial, às 19h, entre as seleções da Argentina e Bósnia. Já na dispersão do protesto, uma agência bancária foi depredada e lixeiras foram arrancadas e jogadas na via por um grupo de aproximadamente 20 manifestantes na Boulevard 28 de Setembro, em Vila Isabel. A via está interditada.

Ato contra a Copa interditou algumas ruas da Tijuca na tarde deste domingoAlexandre Vieira / Agência O Dia

A Rua Conde de Bonfim, na Tijuca, em ambos os sentidos, também chegou a ser interditada. Policiais fizeram um cordão em volta dos manifestantes que gritavam palavras de ordem. Dois helicópteros sobrevoaram a região.

Ao chegarem à Praça da Varnhagen, os manifestantes recuaram, pois os policiais soltaram quatro bombas de gás lacrimogênio. À procura de uma nova rota, eles voltaram por onde vieram. Na esquina da Rua Felipe Camarão com Professor Manoel de Abreu novamente os policiais agiram para impedir a passagem dos manifestantes atirando bombas, provocando novo recuo dos que tentavam chegar ao Maracanã.

Manifestantes em ato contra a Copa ocuparam a Rua Figueiredo Pinto%2C na Tijuca%2C neste domingoAlexandre Vieira / Agência O Dia

O ato nomeado "Manifestação de Inauguração do Maracanã na Copa" foi marcado pelo Facebook. No evento, 890 pessoas confirmaram presença. De acordo com os manifestantes, as pautas discutidas no ato envolverão os temas: Educação; Saúde; Direito à moradia; Direito à livre manifestação; Devolução da Aldeia Maracanã para os índios; Melhor mobilidade Urbana; Tarifa Zero e Reforma Política e Fim do Financiamento Privado das Eleições.


Últimas de _legado_O Dia 24 Horas