Passageiros ficam presos em vagão de trem da SuperVia

Composição quebrou pouco tempo depois de partir da Central e só uma parte dos passageiros conseguiu descer e andar pelos trilhos até a estação mais próxima

Por leonardo.rocha

Rio - Um trem do ramal Campo Grande da SuperVia quebrou, por volta das 19h35 desta segunda-feira, pouco tempo depois de sair Central do Brasil, o que forçou parte dos passageiros a descerem da composição e seguirem a pé pelos trilhos até a estação Praça da Bandeira. No entanto, um dos vagões do trem ficou posicionado em um local onde seria impossível desembarcar e, por isso, a outra parte dos passageiros ficou presa em um trem sem ar-condicionado esperando que equipes da SuperVia os ajudassem ou o trem fosse consertado. Até às 20h30 desta segunda-feira, os passageiros permaneciam dentro do vagão.

Pelo Twitter, seguidores de O DIA 24 Horas que estavam no trem reclamaram da composição ter apresentado um problema logo que saiu da Central: "O trem não andou nem por 5 minutos. Se já estava com problema, por que não vistoriado na Central?" disse Daniel Queiroga (@dcqueiroga). O seguidor também questionou a falta de informação e assistência aos passageiros após a avaria: "Tivemos que descer e nos dirigir à estação Praça da Bandeira. Ninguém nos deu nenhuma orientação.". A SuperVia, no entanto, nega e diz que equipes da concessionária estiveram no local e orientaram os passageiros.

Outra seguidora, Bruna Lopes (@Bruna_Lopes81), chamou a atenção para o fato de ainda terem pessoas dentro do trem: "As pessoas dos últimos vagões estão presas lá. Passei ao lado... Todos os ramais paradores atrasados...". A SuperVia também nega que os intervalos estivessem irregulares, pois, segundo a concessionária, desvios na linha férrea puderam ser feitos.

A concessionária não soube informar quantas pessoas estariam presas no vagão e qual foi a distância percorrida pelos passageiros que desembarcaram nos trilhos.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia