Por julia.sorella

Rio - A Rua Pedro Ernesto, na Gamboa, foi totalmente interditada às 8h deste sábado, como parte do planejamento para as obras do Porto Maravilha. O fechamento da via é para dar continuidade às obras de infraestrutura e de implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). 

Com a interdição, a Rua do Propósito passará a operar em mão única no trecho entre as ruas Sacadura Cabral e da Gamboa, no sentido Rivadávia Corrêa. A Rua do Livramento terá fluxo no sentido Rua Sacadura Cabral, enquanto o trecho entre as ruas Pedro Ernesto e Livramento da Rua Leôncio de Albuquerque também muda, com operação no sentido Rua do Livramento.

A Prefeitura do Rio resolveu adiar a interdição das duas pistas da Avenida Rodrigues Alves, no Santo Cristo, no trecho entre o estacionamento da Rodoviária Novo Rio e a Avenida Professor Pereira Reis, que estava programado para a manhã deste sábado. A interdição foi agendada para o dia 26 de julho, a partir das 8h. O adiamento em uma semana tem como objetivo permitir que a população tenha mais tempo para conhecer as mudanças no dia-a-dia.

Rua Pedro Ernesto é interditada neste sábdo. Com isso%2C haverá inversão de mão de ruas e troca de locais de pontos de ônibusArte O Dia

Os pontos de ônibus das linhas municipais na Rua Pedro Ernesto (em frente aos números 79, 51 e 31) e na Rua Sacadura Cabral (em frente ao número 289) serão transferidos para a Rua do Livramento, próximo aos números 57 e 145.

Segundo Maria Araújo, de 45 anos, que há 12 trabalha em uma padaria na Pedro Ernesto, será muito complicado manter o negócio com a rua fechada. Ela disse que, desde quando começaram as obras, e o movimento de seu estabelecimento caiu: “Nem caminhão com mercadoria vai poder parar.” A auxiliar de escritório Vanessa Lima, de 37 anos, pega ônibus na rua: “Vamos ver como vai ficar o trânsito, mas aposto que será horrível”, comenta.

Por outro lado, alguns moradores como as aposentadas Margarida e Deise Vital, de 82 e 59 anos, mãe e filha, acreditam que as obras precisam ser feitas. Para elas, o transtorno terá sua compensação. “Tem que ficar ruim para melhorar”, comentou Margarida.

Você pode gostar